15.1 C
Guimarães
Segunda-feira, Julho 15, 2024

AvePark: Instituto Cidade de Guimarães inaugurado

Economia

O ‘TERM RES-HUB – Instituto Cidade de Guimarães’, uma infraestrutura científica para a engenharia de tecidos e medicina regenerativa e o maior projecto do roteiro nacional de infraestruturas científicas estratégicas, tem instalações definitivas.

A “nova casa” que a unidade orgânica I3Bs, da Universidade do Minho, tem agora à disposição para desenvolver a sua investigação, para além do financiamento resultante do Portugal 2020, teve ainda um investimento significativo do Município de Guimarães e da Universidade do Minho. 

Rui Vieira de Castro, reitor da Universidade do Minho, qualificou o momento como “um dia particularmente feliz”, destacando o contributo fundamental de Domingos Bragança para que fosse possível inaugurar “tão importante infraestrutura”, bem como o contributo de António Cunha, anterior reitor da Universidade do Minho e actual presidente da CCDR-Norte.

Segundo o reitor, com a entrada em funcionamento em pleno do Instituto Cidade de Guimarães a Universidade do Minho tem agora uma oportunidade para consolidar, nacional e internacionalmente, a investigação como uma das suas áreas de excelência, sendo a responsabilidade também acrescida. 

Rui Reis, presidente do I3Bs, descreveu, em traços gerais, o percurso que foi efectuado para que o instituto viesse a ser uma realidade e disse ser esta uma oportunidade que a todos responsabiliza.

O presidente da Câmara, referiu ser recíproca a gratidão que a Universidade do Minho, através do seu reitor, expressou, e lembrou a aposta do Município de Guimarães, em fazer da ciência e do conhecimento pilares essenciais do desenvolvimento do território

“Estes são os alicerces que definimos como basilares para que o território de Guimarães se possa desenvolver.”

“É através do conhecimento que empoderamos e robustecemos os nossos tecidos social e económico, mas também da educação e da cultura, pois estes são os alicerces que definimos como basilares para que o território de Guimarães se possa desenvolver. Aqui, neste mesmo lugar, reuni um conjunto de empresários, juntamente com o I3Bs e o hospital, para que possa nascer um HUB de saúde, em Guimarães, daqui do AvePark para a região, país e mundo”

Acentuou que “a transferência de conhecimento para as empresas e a diversificação das suas actividades, com destaque para os dispositivos médicos, os fármacos, e novas aplicações terapêuticas no sistema de saúde, são essenciais para que todo o nosso tecido económico se transforme num tecido económico de base tecnológica”, disse o presidente da Câmara. Lembrou ainda o apoio estratégico que está a ser dado à engenharia aeroespacial e o projecto da ‘Fábrica do Futuro’, como apostas claras na ciência e no conhecimento por parte da autarquia.

Elvira Fortunato, Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, referiu-se ao presidente da Câmara como ‘parceiro estratégico’ para a criação do Instituto Cidade de Guimarães e como ‘embaixador da ciência’, pelo facto da autarquia vimaranense ter uma clara política pública de aposta no conhecimento e na ciência. Para a ministra, a inauguração do novo centro de investigação é a “concretização de um sonho” e da visão do seu mentor, Rui Reis.

Para António Costa, Primeiro-Ministro, a inauguração do Instituto Cidade de Guimarães é “um marco de um percurso e de uma estratégia que coloca o conhecimento na base de tudo”. Uma aposta que, segundo António Costa, começou com a criação de condições para a melhoria dos números da frequência do ensino superior e com o apoio e estabilização das universidades. 

Uma dimensão que o Primeiro-Ministro considera crucial é a das agendas mobilizadoras, tendo sido destacado o papel que a Universidade do Minho tem vindo a desempenhar no processo, com presença em 18 das 53 agendas aprovadas.

António Costa falou do exemplo da parceria da Universidade do Minho com a Bosch como inspiradora e relevou a aposta de Domingos Bragança na ciência, decisiva para o desfecho que o Instituto Cidade de Guimarães veio a conhecer.

No final da cerimónia de inauguração do ‘TERM RES-HUB – Instituto Cidade de Guimarães’, António Costa visitou a obra do futuro e inovador edifício residencial para estudantes e investigadores que integra a estratégia municipal para o desenvolvimento do Parque da Ciência e Tecnologia de Guimarães, AvePark. 

O edifício residencial ‘net-zero’ é um investimento de aproximadamente 13,8 milhões de euros (ao qual acresce o valor do IVA), no âmbito do Programa Nacional de Alojamento para o Ensino Superior (PNAES) apoiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). 

No total, este novo edifício estará equipado com 20 quartos individuais, 35 quartos duplos, 24 estúdios, 4 tipologia T0, 22 tipologia T1 e 5 tipologia T2, esperando-se a sua conclusão para o verão do ano em curso.

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias