Vitória: empate com o Arouca foi o melhor que se arranjou

O melhor do jogo registou-se no final com o Vitória a lutar para não perder.


Admitia-se que face ao que tem feito, o Vitória fosse campeão entre as equipas que estão abaixo do 6º lugar com quem ganhando seis pontos pode almejar chegar ao 3º lugar.

Contudo, na prática o Vitória insiste em não ter a estratégia certa para conseguir este objectivo. E deixa-se surpreender e arrisca jogar para os mínimos como é empatar jogos com equipas que lutam para se manterem na Liga Portugal.

E contra o Arouca, o Vitória voltou a evidenciar sinais de preocupação: apresentou-se em Arouca com uma equipa cansada, sem qualquer imaginação, reagindo e não agindo, perdendo pontos com equipas que lhe são inferiores.

Numa primeira parte em que só se conhece um remate, de meia distância de Anderson Silva (28’), foi a equipa de Armando Evangelista que assumiu o comando do jogo.

Neutralizou, na sua intermediária um Vitória preguiçoso e assumiu depois as despesas do jogo, rematando com intenção à baliza de Bruno Varela e obrigando este a defesas apertadas. Primeiro por Tiago Esgaio (19’), num remate surpresa que testou a atenção do guarda-redes do Vitória e já no fim da primeira parte Rafael Mujica (45’) rematou dentro da área.

O Arouca consumou a sua vantagem no jogo com um golo estranho, obtido num remate de Bukia (33’). Bruno Varela defendeu com os braços, a bola subiu e caprichosamente passou-lhe por cima do corpo e entrou na baliza.

Um prémio para uma exibição melhor do que a do Vitória.

Já na 2ª parte, esperava-se outra atitude do Vitória mas num contra-ataque Rafael Mujica falha o 2-0 rematando ao lado dentro da área na zona frontal da baliza. 

Foi um alerta, um pouco antes do empate que surgiria no lance seguinte quando Anderson (57’) aproveitou um passe de Johnston e fez o golo da igualdade.

Quando estava no seu melhor período no jogo, a defesa do Vitória quebrou e permitiu a Quaresma (70’) galgar terreno e rematar à entrada da área com êxito. O 2-1 representava a vontade dos jogadores do Arouca, sempre prontos a mostrar serviço.

E depois foi Antony (76’) que voltou a fazer uma correria louca e rematar contra Varela e a criar uma onda sucessiva de remates que não deram em golo. Parecia que os avançados e médios arouquenses tinham via verde para chegar depressa à baliza do Vitória.

A reacção do Vitória foi sempre emotiva. E com emoção criou situações que criaram confusões na área do Arouca. 

O empate surgiu nesse período, num erro do guarda-redes do Arouca que num livre agarrou Safira durante mais tempo que o permitido. Rúben Lameiras marcou penalti e fez o 2-2.

Que o descanso competitivo traga um Vitória renovado e reestruturado nos objectivos. E voltando ao início da temporada praticando um futebol de melhor qualidade. 

O Vitória alinhou com: Bruno Varela, André Amaro (Safira 72’), Ibrahima Bamba, Mikel, Zé Carlos (Jota Silva 66’), Tiago Silva (Nicolas Janvier 67’), André André, Hélder Sá (Johnston 45’), Rúben Lameiras, Nelson da Luz (Antoñin Cortes 74’), Anderson Silva.

Amarelos: André Amaro (31’), Tiago Silva (52’), Zé Carlos (55’).

Golos: Anderson Silva (57’), Rúben Lameiras (102’).

📸 LPFP

© 2022 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também