Hospital: nascimento planeado tem consulta própria

A nova consulta é um passo para a humanização e proximidade do hospital com a comunidade.


Todos os casais podem, agora, ter consultas para elaborar um plano de nascimento. Uma equipa multidisciplinar apoia e ajuda futuros pais neste planeamento, vertido num documento escrito, pessoal e intransmissível que o casal elabora em função das suas preferências, prioridades e desejos. 

Nele constam as expectativas para o trabalho de parto, parto e pós-parto. E a sua elaboração será sempre feita com informação fidedigna compilada ao longo do período da gravidez ou em cursos de preparação para a parentalidade, em consultas de vigilância com o seu enfermeiro especialista de saúde materna e obstetrícia e o seu obstetra.

O plano de nascimento, serve de elo de informação e comunicação com a equipa de saúde e ainda entre o casal/ acompanhante escolhido, que ficarão cientes das suas escolhas.

Estas escolhas espelhadas no plano de nascimento são apenas linhas directivas e não regras, que poderão ou não ser praticáveis ao longo de todo o processo de nascimento, sendo a prioridade salvaguardar a segurança e o bem-estar materno e fetal.

O Hospital Senhora da Oliveira dispõe de uma equipa multidisciplinar, composta por enfermeiras especialistas, médicas obstetras e anestesistas, que cooperam na consulta onde é feita uma avaliação dos planos de nascimento, empenhada em dar uma melhor resposta a cada situação em particular, adequada a cada casal.

“Almejando uma mudança nos paradigmas da assistência ao casal em trabalho de parto.”

“Várias iniciativas têm sido desenvolvidas almejando uma mudança nos paradigmas da assistência ao casal em trabalho de parto” – refere uma nota de imprensa do hospital de Guimarães. 

As recomendações visam a “humanização dos cuidados” e o envolvimento das parturientes nas tomadas de decisão informadas. “Em boa verdade está a devolver-se o momento do nascimento às famílias” – revela a nota.

A consulta de plano de nascimento teve início em Junho de 2021 com as grávidas de risco seguidas no curso de preparação para a parentalidade do HSOG. 

“A partir de Outubro esta consulta foi expandida para todos os casais, com gestação a partir das 30-32 semanas, que pretendam ter o parto na nossa maternidade” – conclui a nota do HSOG.

📸 Marco Jacobeu

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também