Grupo Casais: inovação e construção sustentável no Hotel B&B

O hotel que o Grupo Casais está a construir, perto da Universidade do Minho, em Guimarães, marca a nova filosofia que vai adoptar na construção civil.


Ainda em construção e já se lhe reconhecem atributos de primeiro edifício de construção híbrida na Península Ibérica, exemplo de equilíbrio entre produtividade, pessoas e planeta e o primeiro a usar um bio-material que armazena carbono numa filosofia de economia circular.

O novo B&B, de Guimarães, com 95 quartos, 44 studios para arrendamento e um espaço comercial, será um exemplo das novas tendências da construção sustentável e amiga do ambiente.

É o primeiro edifício de construção híbrida da Península Ibérica utilizando madeira de engenharia e apenas 1/3 do betão de um edifício tradicional.

Os edifícios híbridos são uma combinação madeira-betão, sendo esta uma alternativa que beneficia duplamente o ambiente: pela redução de pelo menos 40% da utilização de betão e a utilização de madeira, um sequestrador de carbono natural.

Desta forma, além de reduzir a pegada de carbono incorporado na construção em mais de 60% quando comparado com um edifício tradicional, este é também um edifício inovador pelo seu processo de construção: foi desenvolvido com uma base BIM, numa lógica de indústria 4.0, com suporte em princípios de design for manufacturing and assembly.

O processo de construção inovador, que implementa pela primeira vez na Península Ibérica uma estrutura com o Sistema CREE, permite acrescentar um piso a cada dois dias, incorporando já todos os componentes de instalações técnicas e acabamento interior, demonstrando assim que a inovação e construção sustentável são prioridade para o Grupo Casais.

A primeira pedra, foi lançada em Fevereiro deste ano quando já  estava metade do edifício totalmente fabricado. Com cerca de 10.000m2 construídos, inicia agora a fase mais interessante da empreitada com uma orquestração logística de assemblagem.

Trata-se de um projecto que conta com um investimento de cerca de 11 milhões de euros, com a assinatura do arquitecto Mário Fernandes e que será inaugurado ainda este ano.

📸 Direitos Reservados

O sistema CREE apoia-se fortemente numa matéria-prima natural renovável – a madeira. A sua principal característica é o pré-fabrico padronizado de componentes individuais como painéis de texto, painéis de fachada, pilares e estruturas. Estes podem ser rapidamente montados no local da obra, reduzindo as emissões de carbono, o ruído e as poeiras e permitindo economizar tempo, recursos e dinheiro.

As componentes industrializadas que vão ser aplicadas neste projecto inovador, estão a ser fabricadas na Blufab, que é a unidade de construção off-site do Grupo Casais que abastece as obras com elementos fabricados e montados em fábrica.

No que se refere à utilização deste sistema de construção inovador, António Carlos Rodrigues, CEO do Grupo Casais refere que “o desempenho ambiental da Casais continua a evoluir de forma sustentada desde a decisão de implementação de programas de eficiência para potenciarmos os nossos edifícios de elevado perfil ambiental”.

“Recentemente – afirma – reforçámos este desempenho com a adopção de critérios ambientais, sociais e de governance (ESG), que agora abrangem desde Energia a Sistemas de Construção, como o que é disponibilizado pela CREE. A mentalidade e as soluções de madeira híbrida sustentável da CREE estão em sintonia com o nosso posicionamento presente e futuro na indústria da construção”.

“O alinhamento e a união de esforços são assim essenciais para o nosso sucesso”.

Salienta ainda que, “para satisfazer as necessidades dos nossos clientes, operamos em regime de colaboração contratual com os mesmos, através de contratos multi-projecto, com o propósito de participar desde a fase de design e concepção do produto até ao momento de construir. O alinhamento e a união de esforços são assim essenciais para o nosso sucesso. Essa união resulta nas parcerias que espelham uma comunidade constituída por clientes, parceiros e colaboradores” – sustenta.

Além do inovador sistema CREE, o projecto contempla várias soluções off-site que integram preocupações de sustentabilidade ambiental ao nível da saúde ocupacional dos futuros utilizadores e da eficiência energética.

É o primeiro edifício desta dimensão que armazena carbono e permite uma redução de 60% das emissões, incorpora interiores numa filosofia de economia circular onde 50% dos materiais podem ser reutilizados no final do ciclo de vida.

Permite também uma redução de resíduos em 70% e da poluição sonora em mais de 50%, além de reduzir os prazos de execução em 50% em comparação com o tradicional. Contribui ainda para o aumento da qualificação profissional e a redução de riscos e acidentes.

Esta unidade hoteleira será implantada na Rua Rómulo de Carvalho, freguesia de Azurém, junto ao campus da Universidade do Minho. É uma obra que resulta de um trabalho colaborativo entre o cliente, projectistas, construtor e várias empresas parceiras, que desde o primeiro dia contribuíram com soluções para responder aos requisitos de inovação deste projecto.

📸 Direitos Reservados

© 2022 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também