6.7 C
Guimarães
Quinta-feira, Fevereiro 2, 2023

Câmara vai executar obras

Economia

Prédios em ruínas no centro urbano

Desde Março de 2010 que a Câmara Municipal impôs obras em dois edifícios do Largo da República do Brasil por ameaça de ruína.

Só que a dona dos edifícios – a Sociedade Agrícola de Arnozela, Ldª, com sede em Santo Tirso, tem ignorado as ordens de execução nos prazos fixados pelos diversos despachos. E diz-se impotente para concretizar as obras elencadas pelos serviços técnicos de vistorias da Câmara.

Entretanto, a Câmara instaurou processos de contra-ordenação que não levaram a nada, ou seja, os edifícios continuam a representar perigo por se encontrarem em situação de ruptura e ruína eminentes. Os técnicos municipais concordam que são necessárias obras de demolição das três chaminés, do beiral do alçado traseiro, o corte e limpeza de vegetação, a colocação de uma cobertura provisória, obras de emergência que não evitam uma solução global.

Sem que a dona dos prédios corrija os perigos que resultam do mau estado de degradação dos prédios, a Câmara intervém tomando posse administrativa do imóvel, nos termos da lei, e procede às obras provisórias que o Regime Jurídico da Urbanização e Edificação fixa para estes casos.

A Sociedade Agrícola de Arnozela, Ldª já fez saber, entretanto, que “a sua situação financeira é debilitada”, que tem dívidas ao IAPMEI de mais mais de 1,2 milhões de euros – entidade que já hipotecou o imóvel em ruínas – e espera que um PER – Processo Especial de Revitalização – já aprovado seja posto em prática. Esclarece, contudo, que não pode intervir no imóvel uma vez que o mesmo se encontra à venda.

© 2019 Guimarães, agora!

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias