1.5 C
Guimarães
Sexta-feira, Fevereiro 3, 2023

Vai esculpir Vímara Peres

Economia

Dinis Ribeiro reconhecido escultor

Tem quase 80 páginas e está ilustrada quanto baste para se tornar numa relíquia da sua obra artística e do percurso de Dinis Ribeiro, um vimaranense nascido em Rendufe e que tem já uma carreira de “artista”, com várias exposições.
A escultura distingue-o porque aliando a pedra – onde se moldou para uma profissão de canteiro – a outros materiais tem concebido alguns trabalhos que enfeitam o espaço público, onde deixa elevar a sua veia criativa que ganha cada vez mais adeptos.

A exposição – ainda patente no campus da FLUP – teve uma repercussão assinalável não apenas por assinalar 100 anos de uma faculdade, mas também porque é vista como um “momento” top no percurso artístico de Dinis Ribeiro. E marca também a sua ascensão nas artes, ampliada agora para “um tempo novo, expressão segura de uma poesia escultórica”.
A cerimónia de apresentação do catálogo que também é um livro foi bastante participada por amigos e admiradores, pela elite da Faculdade do Porto, da autarquia, e de instituições a que o escultor se ligou no presente e no passado, e de quem gosta da sua “arte e talento” como Delfim Sousa, o curador permanente das suas exposições.

© Direitos Reservados

Nestas páginas ilustradas e onde é possível admirar o “virtuosismo” do artista, conta-se a história completa da “Religare” que fica ligada à história da FLUP, uma exposição com dinâmica e momentos musicais que em 17 de Maio de 2019 foi possível presenciar em versão final. Uma exposição “simbólica” como destacou Fernanda Ribeiro, directora da FLUP, quem o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, agradeceu porque esta exposição “afirmou o reconhecimento nacional” de Dinis Ribeiro e “da sua obra e criação”. “O reconhecimento através das nossas universidades, é um marco importante para Dinis Ribeiro” – sublinhou.
O presidente Câmara, perante o reconhecimento de que foi alvo Dinis Ribeiro, anunciou que “desejando religar o nosso passado com o presente e futuro”, Guimarães precisa de um elemento que reforce “a nossa identidade, à medida que vamos conhecendo melhor o passado”. E uma escultura poderia ser o elemento essencial para “religar às nossas raízes, o radical de vimaranense ao Vímara Peres, um dos fundadores do nosso burgo”.

“Religar às nossas raízes, o radical de vimaranense ao Vímara Peres, um dos fundadores do nosso burgo…”

Domingos Bragança escolhe assim Dinis Ribeiro “pelo seu mérito de criador artístico, para esculpir essa escultura”. E, de algum modo, justifica que “o talento vimaranense nem sempre é reconhecido” e aos artistas “nem sempre lhe damos algo que os possa afirmar na sua cidade e território, a sua criação”.
Por fim, o presidente da Câmara agradeceu a Dinis Ribeiro o que tem feito no seu percurso artístico e afirmou que “o reconhecimento que lhe estão a fazer, é partilhado por todos os vimaranenses e pela geração”.

© 2020 Guimarães, agora!

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias