Vítor Oliveira
Tem 40 anos e atualmente é Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, depois de ter exercido funções de Adjunto entre 2013 e 2017. Licenciado em Comunicação e Pós-Graduado em Economia Social, foi seis anos Docente Assistente Convidado no Instituto Superior de Línguas e Administração (ISLA) e Diretor Executivo do CyberCentro de Guimarães durante onze anos. Entre 1996 e 2002, trabalhou como jornalista na Empresa Gráfica do Jornal “O Comércio de Guimarães” – GUIMAPRESS e no portal “Diário Digital”.

Tão claro como a água

Diz quem sabe que Guimarães é uma das cidades melhor preparadas e com mais capacidade de resposta para responder às consequências das alterações climáticas. Diz também quem sabe que somos uma das cidades que mais valorizou e reforçou as suas preocupações ambientais. Vem o assunto a propósito de notícias postas a circular recentemente sobre o trabalho efetuado pelos municípios no combate às alterações climáticas. Não será necessário fazer um grande exercício de memória para verificar que o trabalho desenvolvido por Domingos Bragança desde 2013, tem sido gradativo e substantivo. Tal também não é alheio o facto de, pelo terceiro ano consecutivo, Guimarães ser o Município mais sustentável do país, tendo obtido a pontuação mais elevada do programa ECOXXI. Por haver trabalho de terreno, Guimarães é hoje uma cidade líder que demonstra melhores práticas em adaptação e mitigação às alterações climáticas.

“Há obra feita. Claramente. E as bacias de retenção são um exemplo flagrante. Desde que foram inauguradas em junho de 2015, têm evitado cheias na zona baixa da cidade…”

E nem entra nesta equação o entusiasmo, sentido de comunidade e a envolvência dos vimaranenses em torno da causa ambiental – algo incontestável, que é tão claro e transparente como… a água! Há obra feita. Claramente. E as bacias de retenção são um exemplo flagrante. Desde que foram inauguradas em junho de 2015, têm evitado cheias na zona baixa da cidade. A Academia de Ginástica, um edifício que consome a energia produzida pela própria infraestrutura, com um elevado grau de eficiência energética, próximo da autossustentabilidade, é outra medida ambiental de referência. Mas há mais.

A abertura do concurso para adjudicação de serviço de transporte público com uma taxa superior a 50% de autocarros 100% elétricos; a criação de mais de três dezenas de Brigadas Verdes na proteção do património natural; a transformação de prédios sociais em edifícios ambientalmente sustentáveis; a intervenção, em concurso de obra, de mais de 300 habitações sociais; os programas educativos ambientais em todas as Escolas, com 50 estabelecimentos de ensino considerados “Eco Escolas”; o “Ecoparlamento”, o Programa PEGADAS… Sim, está claro! E talvez se perceba, agora, por que razão Guimarães foi a cidade europeia escolhida para receber a 7ª Conferência do Diálogo de Alto Nível da Plataforma China-Europa para a Água.

Um evento de âmbito internacional, com o apoio da Comissão Europeia, que decorrerá de 06 a 09 de novembro e que contará com a presença em Portugal de importantes ministros europeus e chineses. Nesta semana, reunir-se-ão em Guimarães mais de duas centenas de personalidades do setor da água para partilhar experiências e boas práticas de gestão de recursos hídricos na União Europeia e na China. E, claro, serão efetuadas visitas ao que tão bom se faz nesta matéria em Guimarães…

© 2019 Guimarães, agora!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também