12.7 C
Guimarães
Segunda-feira, Abril 22, 2024

Gastronomia: CCDR-Norte felicitou Estrelas Michelin a Norte 

Economia

E não deixou de destacar o papel da região na gastronomia de excelência portuguesa. “O norte brilhou ainda mais” na gala Michelin de Portugal, a primeira do guia gastronómico exclusivamente português.

O novo restaurante de Duas Estrelas Michelin está no Porto: o Antiqvvm, do chef Vítor Matos, que nesta categoria se junta ao The Yeatman (chef Ricardo Costa), em Vila Nova de Gaia, e à Casa de Chá da Boa Nova (chef Rui Paula), em Leça da Palmeira. Há agora oito restaurantes com esta distinção em Portugal, dos quais três são da região norte, mais de um terço do total.

PUB

Dos 39 restaurantes que têm Estrelas Michelin no país, nove são do norte, e, dentro desse espectro, dos 31 que detêm uma Estrela Michelin, seis são da região. 

São eles: A Cozinha, do chef António Loureiro, em Guimarães; Euskalduna Studio, do chef Vasco Coelho Santos, no Porto; G Restaurante, do chef Óscar Gonçalves, em Bragança; Le Monument, do chef Julien Montbabut, no Porto; Pedro Lemos, do chef Pedro Lemos, no Porto, e Vila Foz, do chef Arnaldo Azevedo, no Porto.

Entre os novos Bib Gourmand (restaurantes com uma boa relação qualidade-preço, até 45€), que são oito no país, estão quatro restaurantes do norte: Inato Bistrô, dos chefs Tiago Costa e Miguel Rodrigues, em Braga; Norma, do chef Hugo Alves, em Guimarães; Oma, do chef Luís Moreira, em Baião, e Pátio 44, dos chefs Simão Soares e Afonso Ramos, no Porto. Nesta categoria, o norte volta a representar mais de um terço dos restaurantes, com 13 distinções num total de 32.

Também na secção de Recomendados do Guia 2024, os inspectores da Michelin colocam em destaque os predicados gastronómicos da região. Nesta categoria, o norte conta com: Apego, da chef Aurora Goy, no Porto; Blind, da chef Rita Magro, no Porto; Bomfim 1896 with Pedro Lemos, do chef Gonçalo Pinto, no Pinhão; Fauno, do chef Tiago Amorim, no Porto; Gastro by Elemento, do chef Ricardo Dias Ferreira, no Porto; Quinta do Tedo Família Geadas, do chef Óscar Martins Gomes, em Folgosa; Seiva, do chef David Jesus, em Leça da Palmeira, e Vinha, dos chefs Henrique Sá Pessoa e Jonathan Seiller, em Vila Nova de Gaia.

Já o trabalho da chef Rita Magro, do Blind, no Porto, foi reconhecido com o Prémio Jovem Chef. O Melhor Serviço de Sala também é a norte, o prémio foi atribuído a Pedro Marques, do The Yeatman, em Vila Nova de Gaia.

Na história como nos dias de hoje, a gastronomia faz parte do património do norte e muito ligado à identidade nortenha, tanto nos sabores e nos aromas, que nos transportam da mesa para as paisagens e que são tão características, como no modo como os pratos são criados e confeccionados, com a autenticidade e com a ousadia de quem desenvolve um futuro com memória, e ainda na forma como são trazidos à mesa, com a mestria de quem gosta e sabe receber.

António Cunha (presidente CCDR-Norte). © GA!

O presidente da CCDR-Norte afirma que “se não encontrarmos uma boa mesa, recheada dos bons cheiros e sabores, do calor e da simpatia da casa em que a mesa está, poderemos estar em qualquer parte, mas não estaremos, por certo, no norte”

António Cunha felicita todos os chefs e restaurantes premiados a quem “agradeço o facto de garantirem a valorização do património cultural imaterial do norte, onde encontramos a gastronomia, e de contribuírem diariamente para o desenvolvimento e para a promoção da nossa região”.

Foto © CCDR-Norte

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias