32.3 C
Guimarães
Quarta-feira, Julho 24, 2024
Helena Sousa
Helena Sousa
Helena Sousa é coach, numeróloga, autora, palestrante, formadora e professora. Tem como propósito auxiliar as pessoas a descobrirem o seu propósito de vida e a entenderem o mapa da sua vida em todas as áreas. É autora do livro a Alquimia dos Números e de outras obras.

Julho: o mês da Liberdade!

Este mês vai trazer-nos temas que são a base das questões da nossa vida e que neste ano em particular, somos desafiados a enfrentá-los.

Teremos momentos muito duais, ora momentos que queremos fechar-nos para o mundo (7), ora outros que vamos querer correr pela vida fora sem destino (5). Esta combinação traz ao de cima um padrão de querer fugir de dores, traumas e/ou de ficarmos vítimas/reféns de tudo aquilo que não quisemos ver durante a vida. E, quando Julho nos traz este tema da liberdade, algo que todos procurámos e/ou queremos, no entanto, esquecemo-nos que na base desta liberdade está a responsabilidade – pois só é livre quem assume a responsabilidade de si próprio e da sua própria vida, pois caso contrário não temos poder para mudar nem alterar o que quer que seja, e assim somos escravos de nós mesmos.

Só é livre, quem tem consciência que tem o poder de escolher, que tem liberdade de escolha e aqui tantos de nós morremos na praia, pois arranjamos uma série de justificações que impedem a nossa mudança.

Estamos à espera que a vida, mude, que os outros mudem e até lá os anos passam.

Só há mudança, quando mudamos, e aqui, outros tantos de nós também morrem na praia, pois estamos à espera que a vida, mude, que os outros mudem e até lá os anos passam e sentimos que não estamos a viver a nossa vida.

Só é possível ser livre quando mudamos. Mudamos a forma de nos vermos e automaticamente de vermos o mundo. O outro apenas será um espelho perfeito.

Assim, este mês vai-nos convidar a parar, abrandar, a autoconhecermo-nos, a encontrar respostas dentro de nós, a saber quem somos e para onde queremos ir, a tocar em dores conscientes/inconscientes – que nos aprisionam. A conquistar a fé, assumir a verdade, a enfrentar verdades. Com este processo, é impossível sermos o que éramos antes, vamos permitir mudanças internas que se vão refletir em mudanças externas. Abrirmo-nos ao novo, ao diferente, a crescermos e a percebermos que a verdadeira liberdade é interna – a sermos na nossa melhor versão mas também, abraçar a nossa sombra. Tudo faz parte.

Não tenhamos medo de sentir por muito duro que seja, pois só sentindo conseguimos conquistar o equilíbrio, e na maior dor, existe a maior oportunidade de resgatar dons e potenciais. Sejamos livres!

© 2023 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também