20.7 C
Guimarães
Quinta-feira, Junho 20, 2024

Qual o melhor prazo de reembolso para um crédito pessoal?

Economia

Ao considerar contrair um crédito pessoal simples, uma das decisões mais importantes que terá de tomar nesse âmbito consiste em selecionar o método de reembolso mais adequado.

Esta escolha não só impactará as prestações mensais que terá de pagar, como também o montante total imputado ao consumidor (MTIC).

Ao longo deste artigo, guiá-lo-emos pelos diversos fatores a ter em conta ao determinar o melhor prazo de reembolso para o seu crédito pessoal, de forma a certificar-se de que se enquadra nos seus objetivos e capacidades financeiros.

Compreender os prazos de reembolso de créditos pessoais

● Alterações na regulamentação dos empréstimos

O panorama dos créditos pessoais sofreu alterações relativamente recentes: em abril de 2020, o prazo máximo para o reembolso de um crédito desta natureza foi reduzido de dez para sete anos, excetuando-se os créditos contraídos com o propósito de satisfazer necessidades educativas, de saúde ou de transição para energias renováveis.

● Fatores influenciadores dos prazos de reembolso

O objetivo do crédito influencia significativamente o prazo de reembolso; por exemplo, os empréstimos pessoais sem um propósito específico previamente definido são agora abrangidos pelo novo limite de sete anos.

Por outro lado, empréstimos como um crédito automóvel são classificados de uma forma diferente, sem que estejam sujeitos a esta nova obrigação.

Escolha do melhor prazo de reembolso

● Avaliação da estabilidade financeira e perspetivas futuras

Tenha em conta a sua situação financeira, tanto a atual, como a projetada, ou seja, pondere as suas circunstâncias profissionais futuras (como a duração e a estabilidade do seu vínculo) e procure antecipar se a sua vida irá atravessar alterações substanciais (como o aumento da sua família), uma vez que todos estes aspetos poderão condicionar a sua capacidade de cumprir com o plano prestacional.

Ser sincero e transparente relativamente à sua situação financeira e ao propósito do empréstimo é absolutamente fundamental para conseguir assegurar um prazo que funcione para si.

● Impacto orçamental

Avalie o impacto do crédito no seu orçamento mensal; um dos principais elementos a ter em conta é a sua taxa de esforço, que, idealmente, não deve ultrapassar 30% do seu vencimento.

Uma taxa superior poderá exercer demasiada pressão sobre as suas finanças pessoais, pelo que é essencial ter a certeza de que aquilo que aufere é mais do que suficiente para confortavelmente cobrir as prestações mensais.

● Comparação de ofertas de crédito

Antes de assinar o contrato, estabeleça um termo de comparação entre as várias ofertas disponíveis no mercado; existem ferramentas como o simulador de crédito do Banco de Portugal que poderão ajudá-lo nesse sentido.

Os demais fatores que deverá ter em consideração incluem a taxa anual de encargos efetiva global (TAEG), o prazo previsto para o reembolso, o regime da taxa de juro aplicável (fixa ou variável) e o valor das prestações mensais.

As vantagens de prazos mais curtos

● Juros e MTIC

Normalmente, um prazo de reembolso mais curto implica gastos menores com juros ao longo da duração total do crédito, o que se traduz por um MTIC mais reduzido.

Apesar das prestações mensais relativamente mais elevadas, os encargos na sua totalidade são tipicamente mais baixos.

● Gestão da dívida

Um prazo de reembolso mais curto poderá resultar num alívio mais célere da sua dívida e numa menor pressão financeira a longo prazo.

Isto ajudá-lo-á a gerir mais adequadamente as suas dívidas, reduzindo o risco de se endividar demasiado.

Em que circunstâncias deverá considerar prazos de reembolso prolongados?

● Prestações mensais reduzidas

A extensão do prazo previsto para o reembolso contribui para a redução das prestações mensais, tornando-as mais simples de suportar no âmbito do seu orçamento.

Esta escolha revela-se mais prática para quem tem um orçamento mensal relativamente apertado ou outras obrigações financeiras e/ou fiscais.

● Flexibilidade financeira

Um prazo de reembolso prolongado oferece-lhe mais espaço para respirar se o seu orçamento não for tão folgado, proporcionando-lhe flexibilidade suficiente para conseguir suportar despesas inesperadas ou emergências financeiras.

Em conclusão

A escolha do melhor prazo de reembolso para um crédito pessoal simples compreende um equilíbrio entre prestações mensais comportáveis e o MTIC.

A maioria dos créditos pessoais encontra-se agora abrangida por um limite de sete anos; esta informação, a par da compreensão da sua situação financeira, da comparação entre ofertas várias e da avaliação do impacto orçamental do empréstimo são essenciais para tomar uma decisão informada. Pondere cuidadosamente todos estes fatores para que possa solicitar um crédito que satisfaça os seus objetivos e necessidades financeiros.

Conteúdo Patrocinado

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

1 COMENTÁRIO

  1. Excelente partilha de informação para todos os portugueses!

    Os prazos dos reembolsos devem ser efetivamente ajustados à realidade dos consumidores.

    Para um prazo mais alargado, a prestação será naturalmente mais reduzida, ainda que o impacto no valor total do crédito seja negativo, devido ao aumento do período dos juros.

    Isto significa que, tal como referido no artigo, prestações mais reduzidas significam uma maior folga aos consumidores que possam ter orçamentos mais restritos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias