24.5 C
Guimarães
Segunda-feira, Maio 27, 2024

CCDR-Norte: ligar o Norte nos 50 anos do 25 de Abril

Economia

Pensamento, memória e criatividade são os eixos da programação cultural que será posta em marcha a partir da noite de 24 de Abril.

Sob o mote ‘Abril liga o Norte’, a CCDR-Norte põe em marcha um programa de comemorações dos 50 anos da Revolução que convoca instituições e cidadãos a celebrar e pensar as causas de Abril na região. Ao mesmo tempo, a instituição, que acaba de assumir responsabilidades nos domínios da cultura e do património, quer promover a produção de memória sobre protagonistas e histórias de resistência e coragem a norte, que conduziram ou fizeram a Revolução.

“Muitos dos desígnios e realizações de Abril estão na base da missão histórica e contemporânea da CCDR-Norte”, sublinhou o presidente da CCDR-Norte, António Cunha. “Os 50 anos da Revolução não nos podem ser indiferentes e as suas causas são de enorme actualidade e justificam um reavivamento”, referiu.

Com a curadoria de Jorge Sobrado, vice-presidente da CCDR-Norte para a cultura, o programa põe em destaque as áreas do pensamento, da criatividade e da memória e será desenvolvido entre Abril de 2024 e Abril de 2025.

Serão três as iniciativas principais deste ‘Abril que liga o Norte’:

• O ciclo ‘Tertúlias de Café’, conjunto de oito debates sobre causas e ideias de Abril com especial ressonância na missão contemporânea da CCDR-Norte, como a Europa, o poder local, a regionalização, a cultura, a ciência e o ambiente, entre outros temas, a realizar em cafés históricos de oito cidades do norte (Porto, Braga, Guimarães, Amarante, Vila Real, Bragança, Viana do Castelo e Chaves), de memória conspirativa e tradição de tertúlia. Para o ciclo estão convocados artistas, escritores, políticos, cientistas e empreendedores;

• A criação artística pública ‘Mural x 8’, que ligará os oito concelhos mais despovoados da região norte (Boticas, Penedono, Vimioso, Melgaço, Arouca, Resende, Terras de Bouro, Mondim de Basto, um por cada espaço sub-regional), evocando o sonho democrático de um desenvolvimento “para todos”, através de oito pinturas murais criadas por artistas contemporâneos, evocativas de obras de artistas nortenhos que viveram a Revolução. Este hipertexto visual será legendado por oito frases poéticas de escritores nortenhos, com execução a partir do 25 de Abril;

• A série de conteúdos de memória ‘Capitães do Norte’, histórias de resistência e coragem de “carne e osso”, protagonizadas a norte, numa investigação conduzida por Pedro Olavo Simões, Joel Cleto e Suzana Faro, numa parceria editorial com o Jornal de Notícias, com publicação na revista ‘JN História’ e em formato de vídeos documentais, ao longo de 2024.

Nas palavras de Jorge Sobrado, “a programação não esconde o objetivo de promover a memória de Abril a norte, procurando construir uma visão menos assimétrica e territorialmente mais inclusiva da consciência e imaginário da Revolução”.

“Procurámos o contacto com o grande público, especialmente o mais jovem.”

O responsável explica ainda que “o programa adopta uma estratégia de democratização, pulverizando-se em todo o território regional, das principais cidades aos concelhos menos povoados. Ao mesmo tempo, procurámos o contacto com o grande público, especialmente o mais jovem”.

Aquando da execução do ‘Mural x 8’, estão prometidos encontros dos artistas convidados com as comunidades locais, nomeadamente com crianças e jovens, assim como ações de mediação com o público.

A imagem ‘Abril liga o Norte’ é uma criação da designer Mariana Marques, também ela “filha da Revolução”. O programa Norte 2030 apoia a programação ‘Abril liga o Norte’.

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias