19.3 C
Guimarães
Sexta-feira, Abril 12, 2024

CDU: um jantar com organizações de trabalhadores

Economia

A ‘ementa’ política versou a análise das condições de trabalho, os salários e a legislação laboral.

Paulo Raimundo não se esqueceu da ‘Agenda do Trabalho Digno’, peça-chave da propaganda do governo do PS, mas que, para os trabalhadores, só tem de digno o nome.

O secretário-geral questionou quais são as consequências dessa operação tão acarinhada pelo patronato: “Os salários aumentaram? A precariedade acabou? A caducidade foi removida? O princípio do tratamento mais favorável voltou? Os dias de férias ou o subsídio de refeição aumentaram? A ACT viu seus poderes reforçados? O horário de trabalho foi reduzido, diminuiu a intensidade e os ritmos de trabalho? O milhão e 800 mil trabalhadores por turnos ou com trabalho nocturno estão mais protegidos? A vida dos trabalhadores está melhor?”

“Não peçam ao PCP e à CDU para enganar os trabalhadores.”

“Não, e por isso, não peçam ao PCP e à CDU para enganar os trabalhadores, para manter as normas gravosas da legislação laboral, para vender banha da cobra”, afirmou.

Sandra Cardoso, primeira candidata do distrito de Braga, sublinhou que é preciso mudar o foco, as prioridades e a política, resolver os problemas dos baixos salários: “É hora de respeitar os trabalhadores!”

Na iniciativa, falaram ainda Joaquim Daniel, candidato da CDU e coordenador da União de Sindicatos de Braga (CGTP-IN), e João Baptista, membro da comissão de trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal.

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias