Exportações: têxteis e vestuário superam valores de 2019

São positivos os números do comércio internacional, no sector têxtil e vestuário apesar das diferenças em actividades e produtos.


A ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal – leu os números divulgados pelo INE relativamente às exportações realizadas até ao mês de Julho passado.

Sem considerações apenas regista que o volume de exportações atingiu os 553 milhões de euros, um aumento de cerca de 4% face a Julho de 2019. Assim, “o valor acumulado nos primeiros sete meses do ano ascende a 3.191 milhões de euros exportados, registando um pequeno aumento de 0,2% face ao mesmo período em 2019”.

Os produtos em destaque neste volume comercial são as roupas de cama, mesa, toucador e cozinha com mais 67 milhões (+24%); nas camisolas, ardigãs, coletes e artigo semelhantes, de malha o valor exportado ultrapassou os 47 milhões de euros (+19%); os artefactos têxteis confeccionados, incluídos os moldes para vestuário, máscaras têxteis e artigos semelhantes superou os 28 milhões de euros, o que significa mais de 162%.

Ainda com valores positivos, estão os fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts), de malha, de uso masculino com um valor superior a 22 milhões de euros (+45%); em tecidos de algodão, contendo, em peso, 85% ou mais de algodão, o valor exportado ultrapassou os 12 milhões de euros.

Segue-se uma lista de produtos de camisas de malha, de uso masculino (+12 milhões), vestuário de malha, para bebés (+11 milhões).

Exportações (principais clientes):

Em Milhões €Jan/Jul 2019Jan/Jul 2020Jan/Jul 2021Evol. 21/20Evol. 21/19Peso 21
Espanha97267679918,2%-17,7%25%
França4174574743,8%13,7%15%
Alemanha2712662867,7%5,5%9%
EUA19717724337,3%23,5%8%
Reino Unido*002300,0%0,0%7%
Itália19816921728,1%9,4%7%
Países Baixos13912016033,3%14,9%5%
Suécia64567227,3%12,3%2%
Bélgica6064662,8%10,1%2%
Dinamarca49506223,9%25,5%2%
Intra UE (27)23652033234415,3%-0,9%73%
Extra UE (27)82067984727,7%3,2%27%
Mundo31852712319117,7%0,2%100%
*excepto Irlanda do Norte
© ATP/ INE

Os produtos que sofreram maiores quebras neste período foram, fatos, conjuntos, casacos, vestidos, saias, saias-calças, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts), em tecido, de uso feminino (-62 milhões); fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas e calções (shorts), em tecido, de uso feminino e de uso masculino (-53 milhões); t-shirts, camisolas interiores e artigos semelhantes, de malha (-27 milhões).

A ATP destaca que nos principais destinos das exportações, a França e os EUA estiveram em evidência, com um acréscimo de 57 milhões de euros de produtos têxteis e de vestuário, no período de Janeiro a Julho de 2021 com o mesmo período de 2019.

Destinos com maior crescimento em termos absolutos (2021/2019):

(acrésimo em milhões de €)Evolução
Reino Unido*229 861,00,0%
França57 017,613,7%
EUA46 055,423,3%
Países Baixos20 779,014,9%
Itália18 702,19,4%
*excepto Irlanda do Norte
© ATP/ INE

Os produtos que estiveram mais dinâmicos nestes dois mercados foram: roupas de cama, mesa, toucador ou cozinha, camisolas, cardigãs, coletes e artigos semelhantes, de malha.

As importações de têxteis e vestuário ascenderam a 2.219 milhões de euros nos primeiros sete meses do ano, com uma quebra de 13% face a 2019. Em Julho, as importações diminuíram 13% face a Julho de 2019.

A balança comercial deste sector, no período em análise, teve um saldo positivo de 972 milhões de euros, correspondente a uma taxa de cobertura de 144%.

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -

Edição Impressa/Digital

Leia também