Hospital: serviço de sms informa familiares da estadia dos doentes

Os familiares de cada doente admitido no serviço de urgência, vão receber informações, via sms, sobre todos os episódios da sua permanência no Hospital de Guimarães (HSOG).


Há um novo canal de relacionamento digital entre quem entra no Hospital Senhora da Oliveira (HSOG) e a sua família. Através de um aplicativo informático, é possível gerar várias sms’s – até cinco – que informam o que o doente faz quando é internado ou sujeito a uma consulta demorada com exames de diagnóstico.

Esta proximidade é para o Hospital de Guimarães como uma marca com que pretende identificar a sua prestação de serviços, sempre sujeita a demoras e que são uma resposta, em tempos de pandemia, para que os familiares dos doentes não se aglomerem nos serviços ou nas suas imediações, em situações de impaciência e de dúvida.

Com este procedimento, o familiar recebe no número de telefone que foi deixado no momento da admissão na urgência, todas as informações sobre os passos do doente, desde o início da observação clínica até à realização de exames (raio X, tac’s, análises ao sangue ou outros). Mesmo que o doente se encontre ainda num processo de observação, por mais de 4 horas, nova mensagem informará que essa reavaliação clínica ainda ocorre. Se se justificar o internamento, ou o doente tiver de ser transferido para outro hospital, ou caso tenha alta, destes passos os familiares do doente serão informados.

Este procedimento automático evitará por certo o stress de uma presença à porta do hospital, esperando por qualquer notícia, por parte dos familiares que podem seguir à distância e a partir de casa, a estadia do doente e familiar no hospital.

O último passo para que a família saiba o que se está a acontecer com o seu doente e familiar, será sempre dado pelo hospital, através de um profissional de saúde, que informará o que houver por conveniente e apenas se necessário.

Este procedimento de proximidade, também se aplica aos doentes com Covid-19 com recurso a um tablet (computador), disponível nos serviços, onde consta a informação diária do médico e permite que se façam vídeo-chamadas entre os doentes e os seus familiares, após agendamento, com o enfermeiro responsável, sempre que o doente possa falar.

O HSOG justifica que este relacionamento digital, é uma situação de conforto para os familiares que evita estados de ansiedade também para os doentes.

Esta iniciativa, que supostamente veio para ficar, incorpora o lema que o Hospital lança para a comunidade de “tratar” os doentes, “humanizar” o seu relacionamento com a família e “colaborar” na prestação de um bom serviço.

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2,626FansCurti
0SeguidoresSeguir
70SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Edição impressa

Leia também

Obras municipais: não há planeamento mas o que se faz é bom

O PSD refere que as obras em curso não têm planea...

O corpo das mulheres nunca será uma arma

Existe, indubitavelmente, uma diferença entre os ...

Ciclismo: representação nacional na UCI com um vimaranense

O Congresso da União Ciclista Internacional (UCI)...

UMinho: José Campos e Matos lidera a YES For Europe

A Confederação Europeia de Jovens Empresários, or...