11.7 C
Guimarães
Terça-feira, Maio 21, 2024

Vitória: para ir ao Jamor é preciso ‘tirar bilhete’ no Dragão

Economia

Álvaro Pacheco é um homem de fé. E por vezes brinca com as palavras para, afinal, demonstrar uma realidade do futebol: só no final se sabe quem ganha!

Não é o mesmo que repetir La Palisse, é mesmo acreditar porque coisas estranhas, imprevistas e contra todas as lógicas… acontecem.

PUB

O Vitória já ganhou no Porto, conhece a experiência. Agora, não basta esperar que ‘os céus ajudem’ porque no futebol o trabalho dentro de campo também joga.

Amanhã, o jogo é pressão a dobrar: o Vitória tem de ganhar por dois golos e lutar contra um Porto decepcionado com a prestação na Liga e que procura compensar, pelo menos, com mais uma presença na final da Taça de Portugal.

Álvaro Pacheco acredita e tem fé nos seus jogadores. Porém, só um Vitória muito competente e goleador pode transformar os sonhos em realidade.

Ninguém pode tirar o optimismo ao treinador vitoriano. Ou dizer que o seu plano de jogo é insuficiente.

Sem João Mendes, operado com sucesso a uma lesão no tornozelo mas que só regressará aos relvados já com a próxima época em curso, Álvaro Pacheco repete que “ainda vamos disputar o segundo jogo”. E alimenta todas as ambições e crenças, o que faz com que entre em campo com a sua equipa e de “nos superarmos” para ir ao Jamor, tem de sair vitorioso desta meia (quase) final.

Reconhecendo que “o contexto” é o que é… e de que nada vale apelar a assomos de coragem porque ambas as equipas desejam ganhar. 

E estar numa final, muitas épocas depois, pode ser motivante. “E a possibilidade ainda está aberta” – reconhece o treinador sabendo em que em caso de sucesso, o delírio começaria já na noite de amanhã, pelo caminho e até Guimarães.

Porém, há que entrar bem e com o pé direito, sabendo que o Porto não é ‘nenhum papão’ embora mereça respeito.

Lembrando o primeiro jogo e tiradas as ilações sobre o mesmo agora o Porto está no futuro do Vitória e no caminho para o Jamor. Jogar diferente, da primeira mão, aguentar com a dureza do campeonato e de jogos sucessivos e aproveitar a emoção que dele decorre.

Antevê, “um jogo diferente, emotivo, bem disputado, excepcional, fantástico”. Porém, este, mais do que outros em que o Vitória joga para ganhar, deixará um lastro de sucesso ou insucesso porque pode marcar o final de mais uma competição ou deixar para o estádio nacional o deslumbre e o deleite do triunfo. 

João Mendes e Ricardo Mangas. © Vitória SC

Há já a certeza de que Ricardo Mangas e João Mendes, ficam de fora, ambos por lesões. Mas o treinador não chora esta indisponibilidade de duas peças essenciais na equipa. Mas há mais jogadores e ter uma equipa competitiva é o que Álvaro Pacheco diz ter feito, ao longo da época.

Reconhece a João Mendes o estatuto de “jogador especial”, com atributos futebolísticos como o de ser inteligente e ter capacidade de decisão; e, claro, gostaria de ter os dois na equipa.

Tácticas e esquemas à parte, o plano de jogo é bem simples: jogar para ganhar… e o resto são dissertações futebolísticas.

Foto © Vitória SC

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Últimas Notícias