19.6 C
Guimarães
Segunda-feira, Junho 24, 2024
André Almeida
André Almeida
Presidente do grupo parlamentar municipal do CHEGA.

O 24 de Junho é, afinal, o dia da Portugalidade!

Nasci no antigo Hospital dos Capuchos e fui batizado na igreja de São Dâmaso. Vi os meus filhos nascerem em Guimarães e tive a felicidade de ver a minha filha ser batizada na mesma igreja pelo mesmo padre que me batizou.

Cumpri o serviço militar no antigo Regimento de Lanceiros da Rainha, como voluntário, sendo um soldado de cavalaria por direito. Um Lanceiro que vê agora a associação sediada no hospital onde nasceu.

Curiosidades e coincidências, e tantas outras há. Por isso, celebrar o 24 de Junho é mais do que celebrar a minha história, a história da minha vida familiar, de Afonso Henriques ou de Guimarães. Celebro o dia da Portugalidade, o primeiro dia, a Aurora da maior e melhor nação do mundo.

Não foi só o primeiro rei contra uma regente mal-intencionada. Não foi o que seria Portugal contra o que seria Espanha. Não foi uma família em disputa por territórios. Mas sim um povo na luta pelo progresso contra o retrocesso civilizacional.

Mas Portugal negligenciou este dia e os Portugueses não lhe dão o devido valor. Como é possível? Sem este dia não haveria a nação valente, não seríamos imortais. Não haveria língua portuguesa. Será que ninguém o entende?

O título de “Berço da Nação” é uma identidade que nasce connosco, crescendo ao longo das gerações. No entanto, quando partimos deste mundo físico, esse título permanece, perpetuando o orgulho que sentimos por esta cidade. Mas, esse dia tem o potencial de ser muito mais do que uma celebração local. Ele pode-se transformar num dia de ressoar a portugalidade, enaltecendo o orgulho nacional, a rica história de Portugal e a cultura lusitana.

Devemos refletir sobre o valioso legado deixado pelos nossos antepassados.

Neste dia, é nossa responsabilidade celebrar com entusiasmo, relembrar e honrar a história multifacetada do nosso país e a nossa cultura singular. Devemos refletir sobre o valioso legado deixado pelos nossos antepassados e valorizar as suas inúmeras conquistas. Este é o momento para nos reconectarmos com as tradições e valores que nos definem como povo, desde o esplendor do idioma português, uma das línguas mais faladas no mundo, até as delícias da gastronomia típica de Portugal.

Mais do que isso, é uma oportunidade para nos unirmos em um espírito patriótico, relembrando o quão afortunados somos por ser parte desta nação extraordinária. Devemos celebrar com gratidão a nossa rica herança cultural e encarar o futuro com esperança e determinação, mantendo a chama da portugalidade acesa nos nossos corações.

O 24 de Junho é, afinal, o dia nacional da Portugalidade, um momento especial para exaltar nossa identidade e orgulho como portugueses. E em Guimarães podemos e devemos festejar antes disso o 22 de Junho, dia que (imaginem!) a tal Rainha, Dona Maria II, nos elevou a cidade.

Não falta história na minha vida, na minha família, na nossa cidade e no nosso país. Falta é que quem manda pare de negligenciar essa mesma história!

Viva o 22 de Junho, Viva Guimarães! Viva o 24 de Junho, Viva Portugal!

© 2024 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também