Hospital: mais atendimentos na unidade de Cardiologia

Nenhum acto cirúrgico em Cardiologia, foi suspenso no Hospital de Guimarães, o que levou ao aumento dos procedimentos em relação a 2020.


A Arritmologia, uma sub-especialidade da Cardiologia que se dedica ao diagnóstico e tratamento das arritmias cardíacas foi das que mais actividade teve em pleno período de pandemia. Hoje, quando se celebra o Dia Mundial da Saúde, e em face da produtividade da Cardiologia, o Hospital lembra aos pacientes com problemas relacionados com o ritmo cardíaco que “é seguro procurarem o seu hospital para serem tratadas e que o diagnóstico e intervenção precoces são fundamentais para o sucesso do tratamento”.

Inserido numa das regiões do país mais afectadas pela pandemia, “tem sido um verdadeiro caso de estudo” – considera uma nota elaborada pelo Hospital. O número de cirurgias, em Cardiologia, aumentou em relação a 2020 e a 2019, conseguindo até dar resposta a outros doentes de hospitais vizinhos.

O serviço de Cardiologia do Hospital de Guimarães explica que, “foi fundamental manter a actividade nesta área porque estamos a falar de intervenções que salvam vidas, quer seja a implantação de um dispositivo cardíaco ou a realização de um estudo electrofisiológico e de uma ablação. Fazer menos um procedimento pode corresponder a uma vida perdida” – lê-se na nota de imprensa divulgada.

“Uma organização rigorosa e clara definição de prioridades ajudou-nos a manter a actividade, mesmo considerando que foi no espaço físico da unidade de Diagnóstico e Intervenção Cardiovascular do Serviço de Cardiologia que funcionou o bloco operatório, durante os três meses da 1ª vaga.”

Recorde-se que as arritmias cardíacas são distúrbios dos batimentos do coração, que podem ocorrer de forma lenta (bradicardia), rápida (taquicardia) ou irregular (arrítmica). Alguns dos sintomas associados são palpitações (acompanhados ou não de mal-estar), cansaço, falta de ar, suor excessivo, sensação de desmaio ou mesmo desmaio. Por vezes o diagnóstico de arritmia é apenas identificado em exames de rotina sem que o paciente tenha tido qualquer tipo de sintoma.

Uma das arritmias mais comuns é a fibrilhação auricular durante a qual o coração bate de forma irregular. A fibrilhação auricular é uma das principais causas de acidentes vasculares cerebrais (AVC), devendo por isso ser detectada e tratada atempadamente de forma a evitar outras complicações. Alguns dos tratamentos específicos para tratar os diferentes tipos de arritmias passam por fármacos antiarrítmicos, implantação de dispositivos cardíacos (pacemakers e cardioversores-disfibrilhadores) ou realização de estudos eletrofisiológicos e ablação.

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

1 COMENTÁRIO

  1. Fiz a ablação das veias pulmonares em 2016 em V.N.de Gaia, dado na altura este tratamento não se fazer ainda em Guimarães. Esta notícia é espetacular, dado termos a necessária assistência aqui bem perto. Já agora os meus parabéns ao Dr. Vítor Sanfins pelo seu empenho neste projeto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -

Edição Impressa/Digital

Leia também