CCDR-N: 50 milhões para a Saúde no Norte

A CCDR-Norte apresentou esta Quarta-feira um dos mais completos e robustos pacotes de sempre de financiamento comunitário a infra-estruturas e serviços de Saúde.


Ao todo, a CCDR-Norte aprovou, ao abrigo do Norte 2020 (Programa Operacional Regional do Norte), um conjunto de apoios dos fundos europeus que ascende a 30 milhões de euros, distribuído por 20 projectos, num investimento total de 50 milhões de euros.

Nesse pacote de investimentos, destacam-se as apostas nos cuidados de saúde oncológicos, primários (de cariz familiar), de apoio à infância e maternidade e em serviços de urgências hospitalares. Cerca de metade dos apoios comunitários atribuídos (acima de 13 milhões de euros) destinam-se à aquisição de equipamentos e tecnologias para serviços de diagnóstico e tratamento de oncologia.

“Os cuidados de saúde pública são um pilar da qualidade de vida, da coesão social e da competitividade de uma região no Norte, reconhecemos a necessidade desta aposta e estes financiamentos são a consequência prática dessa aposta”, refere o presidente da CCDR-Norte, António Cunha.

📸 Direitos Reservados

A dimensão regional de parte importante destes investimentos, em áreas estratégicas como os tratamentos de oncologia e os cuidados de infância e maternidade, e a aplicação de parte destes financiamentos em concelhos de baixa densidade, em unidades de saúde familiar, são aspectos valorizados pela CCDR-Norte nesta decisão de financiamento.

Na esfera dos cuidados de oncologia, os investimentos abrangem a área metropolitana do Porto, o Alto Douro e Trás-os-Montes e o Tâmega e Sousa. A construção das unidades de saúde de Moreira de Cónegos (Guimarães) ou de Vieira do Minho, e a remodelação e ampliação da USF Antonina, em Vila Nova de Famalicão, são exemplos dos investimentos de proximidade.

“A saúde pública do Norte ficará assim mais forte, mais democrática, mais próxima e mais evoluída”.

“A saúde pública do Norte ficará assim mais forte, mais democrática, mais próxima e mais evoluída”, sublinha António Cunha. “Este será, também, um compromisso para futuro, expresso no próximo programa operacional regional Norte 2030”.

A Unidade de Saúde de Moreira de Cónegos vai custar 2.022.897€ contando com uma comparticipação do Fundo Norte 2020 de 722.500€. O investimento na Unidade de Saúde de Moreira de Cónegos tem como objectivos a melhoria das condições físicas e funcionais para utentes e profissionais, proporcionando à população, melhor acesso, mais qualidade e mais humanização dos cuidados de saúde; a redução dos constrangimentos de acesso aos utentes com dificuldade de locomoção, como grávidas e crianças; e a concentração de meios para uma melhor eficiência operativa.

Esta operação insere-se na estratégica regional de consolidação e fortalecimento da reforma dos cuidados de saúde primários, que visa garantir à população da região Norte o acesso equitativo a cuidados de saúde, tendo em conta as necessidades locais, e promover mais e melhor saúde.

Ainda na CIM do Ave, foram contemplados a construção da Unidade de Saúde de Vieira do Minho que representa um investimento de 1.454.370€ e uma comparticipação de 990.250€.

© CCDR-N

A operação de construção da Unidade de Saúde de Vieira do Minho tem, como foco principal, três grandes objectivos: a melhoria das condições físicas e funcionais para utentes e profissionais, proporcionando à população um melhor acesso, mais qualidade e mais humanização dos cuidados de saúde; a redução dos constrangimentos de acesso aos utentes com dificuldade de locomoção, grávidas e crianças, permitindo o cumprimento da legislação sobre acessibilidade a edifícios públicos; e a eliminação dos obstáculos actuais, o que permite evitar alguns serviços de domicílio.

A operação enquadra-se na estratégia de consolidação e fortalecimento da rede de cuidados de saúde primários (CSP).

Por último, o projecto de remodelação e ampliação da USF Antonina, que terá um custo de 591.311€ e uma comparticipação de 502.614€.

A reabilitação e ampliação das instalações da Unidade de Saúde Familiar de Antonina, permite um maior ajuste às necessidades locais e condições estruturais e de equipamentos para a prestação de cuidados de qualidade.

Esta operação proporciona uma melhoria na acessibilidade, em particular às pessoas com mobilidade reduzida, aos idosos, às grávidas e crianças e figura-se como incentivadora da melhoria da eficiência e da produtividade, tendo em conta que as condições funcionais adequadas permitirão uma gestão mais racional de recursos.

A disponibilização de uma unidade de saúde reabilitada e ampliada permite também o desenvolvimento e melhoria da execução dos programas de saúde e demais actividades da unidade de saúde familiar.

Os municípios de Guimarães, Vila Nova de Famalicão e de Vieira do Minho serão os promotores destas empreitadas.

📸 Direitos Reservados

© 2022 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

1 COMENTÁRIO

  1. Ao todo, o Hospital de Sao Joao, no Porto, vai beneficiar de 5,4 milhoes de euros do Norte 2020 para um investimento total de 9,4 milhoes de euros para a aquisicao de um acelerador linear, de uma camara PET-CT (Tomografia Computadorizada por Emissao de Positrons), de uma equipamento de angiografia de Subtracao Digital com Tomografia Computorizada, e para a construcao do heliporto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também