3.9 C
Guimarães
Segunda-feira, Janeiro 30, 2023

Coelima: abstensão dos trabalhadores aprovada em plenário

Os trabalhadores vão esperar para ver quem será o novo patrão da Coelima, não votando em qualquer uma das três propostas de compra da empresa.


Foi uma decisão unânime e corresponde à proposta feita pelo Sindicato Têxtil. Os trabalhadores não estão indiferentes a quem será o novo dono da empresa mas preferem ficar de fora da proposta que o administrador judicial, Pedro Pidwell, fará, “por estatuto”, ao propor a venda à Mabera que apresentou uma proposta de compra melhor remunerada para os bancos que vão absorver a grande maioria dos 3.636.666,00 euros, pagos a pronto.

A última decisão ficará para a assembleia de credores que reunirá na 6ª feira, dia 25 de Junho, onde os credores financeiros têm maioria.

Francisco Vieira, dirigente do Sindicato Têxtil, congratulou-se com o facto de “a Coelima estar a provocar agitação nos meios empresariais locais” e informou os trabalhadores do que havia para decidir.

Os trabalhadores ficaram a saber que pouco têm a ganhar com o valor de qualquer uma das propostas, porque o produto da venda do estabelecimento vai directo para os credores bancários e financeiros e só cerca de 60 mil euros serão canalizados para os trabalhadores que rescindiram os seus contratos.

Daí que tenha dado mais esclarecimentos sobre as propostas em si. “Todas fazem juras sobre o desejo de recuperar a Coelima”, não para a anterior pujança mas “para a dimensão adequada” servindo-se de um ditado popular para saber como se comportará o vencedor desta corrida. “Conhecem a história dos melões?” – interrogou virado para os trabalhadores.

© GA!

É o que acontecerá à Coelima, depois de adquirida, “só saberemos se o melão é bom depois de o abrir” – salientou Francisco Vieira.

O dirigente sindical informou os trabalhadores que à hora do plenário havia quem estivesse a negociar a compra da empresa António Almeida & Filhos uma das empresas tri-gémeas no grupo Moretextile.

De facto, o consórcio Mundotêxtil/Felpinter tinha em perspectiva comprar também a empresa António Almeida & Filhos cujas negociações ainda decorrem. Tal intenção foi também manifestada pelos administradores da Mabera que informaram o Sindicato Têxtil dessa pretensão.

Aliás, o grupo Moretextile pode estar mesmo em liquidação, uma vez que a Felpinter já comprou a JMA Felpos, a Coelima segue os passos da liquidação e sobre a António Almeida & Filhos há sinais de compra e interesse da Mabera junta com o grupo de Armando Antunes (Lasa). 

Mas esta corrida pela que foi a jóia da coroa de Moreira de Cónegos e do clã Joaquim Almeida Freitas, pode fazer juntar um quinteto de investidores em que se aglutinam a Polopiqué, a Calvelex, Paulo Oliveira, o grupo Riopele e a Twintex, rumores que o Sindicato Têxtil tem vindo a acompanhar.

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também