Vitória: cabeçada de Quaresma evita derrota em Faro

O empate com o Farense fica a dever-se aos erros defensivos da defesa e ao esforço feito nos  últimos seis minutos da partida.


Mesmo marcando cedo – golo de Rochinha aos 2’ – como o treinador desejava, o Vitória cedeu com erros defensivos, já habituais, que permitiram ao Farense lutar por um triunfo que o ajudariam a sair do fundo da tabela.

Se no primeiro golo, a defesa vitoriana deixa Pedro Henriques só com Bruno Varela, no segundo do Farense é o guarda-redes do Vitória que voltou a perder a bola fora da área, querendo jogar como defesa quando não o sabe fazer.

A história do jogo está nos três golos da primeira parte e na atitude do Farense que depois do intervalo quis marcar mais golos – viu dois anulados por fora de jogo – perdendo força já nos últimos seis minutos, desperdiçando uma vantagem que lhe daria um alento maior para sair do fundo da tabela classificativa.

Com mais três jogos para disputar, num campeonato bastante competitivo, o Vitória não muda de rumo e oscila em períodos bons e muito maus.

Poucos são os jogos em que se notam uma equipa a destacar-se, valendo o desempenho individual de um ou dois jogadores para construir os resultados que sustentam a equipa na classificação.

O empate em Faro, deve-se às substituições feitas por Bino Maçães, sendo a entrada de Quaresma e de Rúben Lameiras a que produziu o último impulso da equipa para chegar ao empate. Quaresma marcou de cabeça, da zona de penalti, no lance mais vistoso dos minutos finais do jogo.

O Farense ganhou ascendente depois de Suliman ter visto o segundo amarelo e sido expulso aos 50’, o que deu à equipa algarvia uma nova dinâmica à qual faltou mais um golo que esteve à vista.

Rochinha esteve em evidência pelo golo marcado e pela exibição mas a irregularidade da equipa é o seu calcanhar de Aquiles. É isso que explica que frente aos dois últimos da classificação, o Vitória só tenha conseguido um ponto.

O Vitória jogou com: Bruno Varela, Sacko, Suliman, Jorge Fernandes, Mensah (Rúben Lameiras 66’), André André (Janvier 82’), André Amaro, Pepelu, André Almeida (Ricardo Quaresma 66’), Rochinha (Marcus Edwards 82’), Óscar Estupiñán (Bruno Duarte 71’).

Notas de mais um desperdício de pontos:

  • Bruno Varela não tinha necessidade de repetir o erro de jogar a bola fora da área perdendo-o para o avançado do Farense, Pedro Henriques que foi o autor dos golos da sua equipa;
  • Continua desfigurado o modelo de jogo da equipa, origem da lentidão do processo de jogo e de imensos passes para o lado que não é pragmático nem espectacular;
  • Contra o Farense e o Nacional, os dois últimos da tabela, o Vitória só conquistou um ponto, o que é bem demonstrativo da irregular e desastrosa 2ª volta que tem feito;
  • Os erros na defesa são arreliadores e repetitivos e são o pão nosso de cada dia dos adversários;
  • Torna-se muito evidente que as previsões dos treinadores do Vitória não reflictam o que é depois o processo de jogo, a exibição e os avisos que são feitos contra as qualidades do adversário. Bino advertiu que o Farense era bom nas bolas paradas e sistematicamente a defesa do Vitória foi sempre batida nesses lances;
© VSPORTS

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também