6.7 C
Guimarães
Quinta-feira, Fevereiro 2, 2023
Miguel Leite
Miguel Leite
Natural de Guimarães, Fisioterapeuta Licenciado, com mais de 10 anos de experiência profissional, tendo já tido várias experiências profissionais (meio hospitalar, clínica, ensino especial em escolas e meio desportivo/desporto de alta competição). É também Pós Graduado em Fisiologia do Exercício e Fisioterapia Cardiorrespiratória. Têm outras formações complementares relacionadas com a sua profissão. Faz parte dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, pertencendo desta forma ao atual corpo ativo da corporação vimaranense.

“Qualquer atividade física é melhor que nenhuma”

Vivemos dias atribulados nas nossas rotinas diárias, em que muitos de nós se encontram sobretudo em distanciamento social (objetivo profilático e responsável determinado pela Direção Geral de Saúde devido à pandemia COVID-19) em suas casas, e por isso, limitados nas suas atividades de vida diária. Esse “confinamento” inerente a um determinado espaço físico pode trazer alguma tendência para o sedentarismo e estados depressivos, e cabe a cada um de nós a responsabilidade de que tal facto não suceda, para bem da nossa saúde física e emocional.

“É fundamental mantermos uma atividade física regular para potenciar toda a funcionalidade do nosso corpo e consequente bem-estar…”

Como tal, é fundamental mantermos uma atividade física regular para potenciar toda a funcionalidade do nosso corpo (constituído por múltiplos sistemas) e consequente bem-estar geral. A realização de mobilidade articular e muscular global passa por gestos simples como levantar/sentar, subir e descer escadas, realizar tarefas domésticas (aspirar, varrer, brincar com os filhos (as) entre outras), que pelo simples facto de interromper longos períodos de repouso e apesar de serem consideradas “atividades leves” (quando comparadas com exercícios vigorosos) sempre que realizadas ao longo do tempo trazem vantagens inequívocas à nossa saúde. Tal situação contribui para um gasto energético progressivo e para uma homeostasia positiva do nosso sistema corporal.

Não devemos nunca negligenciar uma vida fisicamente ativa, prevenindo dessa forma o aparecimento de “estados de enfermidade”, como sendo, a doença coronária, a hipertensão arterial, o acidente vascular cerebral, a diabetes tipo II, a obesidade, a patologia cancerígena, a depressão, a existência de quedas, entre outras. A nossa funcionalidade cardiorrespiratória necessita de estímulos concretos e constantes que passam por atribuirmos mobilidade ao nosso estilo de vida. A existência de novas tecnologias cada vez mais intuitivas na sua utilização, permitem também uma série de aulas elaboradas por profissionais do exercício e saúde devidamente credenciados, que orientam a realização de diferentes tipos de treino, com o objetivo de potenciar uma atividade diária regular e consequente bem-estar de quem as realiza, sendo direcionada para todo o tipo de idades.

Lembrem-se, fomos “desenhados” para o movimento, por isso, devemos manter a nossa condição física e cognitiva sempre dinâmica e desperta ainda mais numa situação tão inesperada na qual vivemos nos dias de hoje. Sejamos todos conscientes e juntos cresceremos em saúde.

© 2020 Guimarães, agora!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também