Vítor Oliveira
Tem 40 anos e atualmente é Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, depois de ter exercido funções de Adjunto entre 2013 e 2017. Licenciado em Comunicação e Pós-Graduado em Economia Social, foi seis anos Docente Assistente Convidado no Instituto Superior de Línguas e Administração (ISLA) e Diretor Executivo do CyberCentro de Guimarães durante onze anos. Entre 1996 e 2002, trabalhou como jornalista na Empresa Gráfica do Jornal “O Comércio de Guimarães” – GUIMAPRESS e no portal “Diário Digital”.

Pelo topo da Muralha

A circulação pelo topo da Muralha é o novo ex-libris turístico de Guimarães. Um percurso pedonal com 250 metros de extensão que permite ao público visitar o adarve, caminho de ronda estreito, passando a ser possível caminhar pela muralha, junto às ameias, no troço entre a Câmara Municipal, Colegiada da Oliveira e o Museu de Alberto Sampaio. O projeto resulta de uma ideia de Miguel Bastos, autor da proposta “À Volta da Muralha”, apresentada em 2014 no âmbito do Orçamento Participativo, instrumento de decisão onde os cidadãos vimaranenses têm uma participação ativa na governação de Guimarães. Nesse ano, não foi um dos vencedores, mas a ideia de proporcionar um miradouro sobre a cidade manteve-se. E foi agora inaugurada por Domingos Bragança num exemplo flagrante de como a gestão e governação de um município se faz com os cidadãos. O percurso do pano da muralha realiza-se gratuitamente através de uma estrutura de madeira, onde estará, doravante, a gravação no pavimento do nome e do local das torres anteriormente ali existentes, o que permitirá interpretar melhor o que foi o sistema defensivo, além de perpetuar a sua memória. Com um objetivo igualmente pedagógico, o projeto, com balizas de segurança ao longo do percurso, proporciona a fruição de um circuito utilizado durante séculos e que ajudará a compreender a função da sua construção. Afinal, as torres e muralhas de Guimarães protagonizaram um sistema defensivo que dominou o burgo vimaranense e que pontuou a sua paisagem durante mais de cinco séculos. Numa segunda fase, será concretizado o acesso público à Torre da Alfândega, na Alameda de São Dâmaso, no topo do muramento onde se pode ler a inscrição “Aqui Nasceu Portugal”. Um outro expectante projeto que vai permitir ver numa outra perspetiva a cidade que valoriza o seu património. Aqui, sente-se a História do país e dá-se a devida expressão e dimensão cultural a uma Cidade Europeia de Cultura, que introduz elementos de contemporaneidade e de modernidade ao seu legado histórico, fazendo de Guimarães uma cidade com um sítio único em Portugal.

© 2019 Guimarães, agora!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2,753FansCurti
0SeguidoresSeguir
70SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Edição impressa

Leia também