Alberto Martins
Alberto Martins, 41 anos é empresário e licenciado em Gestão. Atualmente é ainda presidente da Junta de Freguesia da Vila de São Torcato desde 2017, tendo já sido tesoureiro desde 2005 até 2017. Trabalhou e colaborou com diversas empresas, de onde se destaca a empresa Coming Future e a empresa JF Economista Internacionais.

O caminho faz-se caminhando. Sim!

Por estes dias, os versos do poeta castelhano Antonio Machado, nunca fizeram tanto sentido para mim. O simples ato de caminhar pode simbolizar a vida e significar muito mais do que um simples exercício.

Ainda no passado domingo, na caminhada do Trail Vila de São Torcato, esse momento significou para mim, muito mais do que simplesmente, uma das partes deste grande evento, que juntou quase um milhar de pessoas na Vila de São Torcato.

Uma enorme instituição, que caminha lado a lado, com os doentes de cancro.

Teve desde logo uma enorme simbologia de caminhar pela vida, pois parte da receita do Trail reverteu para a Liga Portuguesa Contra o Cancro, tendo totalizado 800€. Uma pequena ajuda, para uma enorme instituição, que caminha lado a lado, com os doentes de cancro, os que ainda tentam a sua recuperação e os que já recuperaram. E relembro, que esta é uma instituição que não é financiada pelo Estado. Assim também se define a determinação do caminhante: fazer caminho!

Esta caminhada teve ainda, reconheço, um traço que me é muito familiar. A marcação da caminhada deste ano, foi às minhas raízes mais profundas, fazendo-me recordar a minha turbulenta, dura, mas a curtos espaços feliz infância.

Toquei por isso os pontos dessas memórias mais profundas, a passagem pela Quinta da Ribeira, onde passei grande parte dos momentos de brincadeira da minha infância, a zona de Conselheiros/Fontes, onde os meus pais cultivavam um pequeno campo e onde o sobressalto de emoções e recordações do meu PAI é mais profunda e terminei com a passagem na zona dos moinhos de Agra/Fonte do Santo, local de uma beleza única e que sempre fez parte do meu léxico de locais mágicos e encantadores.

São destes pequenos passos, que se faz o caminho das memórias e recordações!

Este caminho de que falo, teve ainda o lado da amizade, da partilha e do saudável convívio. Ver uma mescla intergeracional, de voluntários, de anónimos, de pessoas de várias freguesias, de vários concelhos, calcorreando estes trilhos, debaixo de uma chuva que fustigava o corpo, por um objetivo comum, fazer caminho por uma causa nobre! Sinceramente sensibilizou-me imenso.

Por fim, reafirmar, que efetivamente o caminho faz-se caminhando. Sim! Com pessoas, com humanismo, com trabalho, com suor, com dor e sobretudo com paixão.

Essa paixão que é um amor incondicional à terra que me viu nascer e que tem neste tipo de eventos, como teve o Trail Vila de São Torcato, um simbolismo que vai muito para além da prova em si. É também sinónimo de vida, de esperança e de futuro!

Como dizia o nosso grande poeta, Fernando Pessoa: “Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto.”

© 2022 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também