6.7 C
Guimarães
Quinta-feira, Fevereiro 2, 2023
Helena Sousa
Helena Sousa
Helena Sousa é coach, numeróloga, autora, palestrante, formadora e professora. Tem como propósito auxiliar as pessoas a descobrirem o seu propósito de vida e a entenderem o mapa da sua vida em todas as áreas. É autora do livro a Alquimia dos Números e de outras obras.

2023 o Ano da Fé

O ano de 2023 resulta em 7 (2+2+3=7) e que atribuo como o Ano da Fé. E Fé porquê? Atendendo a tudo o que se tem vivido nos últimos anos, e saindo de um ano que nos exigiu responsabilidade, chega a hora de ter Fé. E antes de descrever este ano, vou fazer uma analogia do Livro do Génesis (Bíblia Sagrada).

“E ao sétimo dia, toda a obra que havia feito, Deus repousou. Abençoou o sétimo dia e santificou-o, visto ter sido nesse dia que Deus repousou de toda a obra da criação dos céus e da terra.”

O nº 7 corresponde às 7 direções, aos 7 dias, aos sete centros energéticos, às sete cores do arco-íris, notas da escala musical, representa o símbolo da consciência, surgindo como reflexo da criatividade divina que atrai a matéria para cima e no descanso voltarmo-nos para o interior – para o descanso. Assim, a melhor analogia que podemos ter deste ano 2023/7 é esta, a energia da criação, do mistério da vida, da perfeição e do descanso.

Há um tempo para lavrar a terra. Há um tempo para tirar as ervas daninhas, para fertilizar a terra, para semear, para cuidar das sementes e há um tempo para colher. Neste ano, “as plantas dão frutos” em resultado das “sementes que plantou” em 2017/10/1, no entanto, ainda é o tempo de separar o “trigo do joio”. Por isso, se é o ano em que as plantas dão frutos, é hora de descansar, repousar, parar, contemplar e saborear o caminho feito.

Para quem já iniciou esta consciência de que é necessário abrandar, terá momentos extremamente enriquecedores. Para quem ainda não conseguiu parar, será obrigado a isso, porque este ano obriga a descobrir o sentido da nossa vida! Para quem já iniciou um caminho interno, será o ano de despertar espiritual mais elevado, de insights profundos, de revelações, de descobertas de riquezas internas.

Para quem ainda anda perdido, à deriva, terá oportunidades para refletir, fazer um trabalho de introspeção para descobrir o seu caminho, a sua essência. Também é o ano da verdade, da verdade da sua vida, da verdade interna, para isso, somos chamados a definir novos valores da nossa existência, uma filosofia de vida, e isso exigirá autoconhecimento, crescimento pessoal e caminhar “para dentro de nós mesmos”.

Será um ano “mais lento”, pois como seremos obrigados a parar, a bem ou a mal, teremos oportunidades de analisar, refletir, colocar em prática o que queremos e/ou redefinir a nossa rota, avaliando se estamos no caminho certo… Será o ano para aprendermos a ser pacientes, a perceber que não controlamos “nada”, e a confiar no universo, permitindo, deixando e acreditando que as coisas vêm até nós.

Vamos perceber que a vida não muda, o tempo não pára e assim, teremos que criar momentos de repouso, recolhimento e até de isolamento, para sentirmos a vida, para descobrirmos o propósito da nossa vida, dando um significado mais profundo à nossa existência. Vamos perceber que quanto mais trabalho interior fizermos, mais sucesso teremos, pois o sucesso virá em proporção à forma como estamos a cuidar de nós mesmos agora, e durante o ano.

É o ano da revelação daquilo que não vemos! Teremos oportunidades para forcamo-nos na compreensão mais profunda da vida, descobrir o que é verdade para nós, criando uma reforma interior, para que estejamos abertos a novas realidades, amadurecermo-nos como pessoas e a sermos mais seletivos.

É o ano favorável aos estudos, à aprendizagem, ao ensino e à investigação, pois terão sucesso os “Especialistas” nas mais diversas áreas. Por isso, é hora de analisar em profundidade as nossas potencialidades, dons, talentos, desafios e limitações, pois não haverá lugar para tocar “vários instrumentos”. Daí ser um ano de autoridade, de foco, de aprofundamento e de manifestar o nosso brilho, a nossa especialidade.

Como pode ser um ano de revoluções, de procura de liberdade, muitas emoções podem vir ao de cima para serem resolvidas, daí ser necessário aprender a distanciarmos emocionalmente das circunstâncias, para sermos mais isentos e claros nas nossas decisões. A fim de construirmos um futuro sólido, será necessário avaliar os passos, os resultados e ações a empreender no futuro. Para isso, será crucial saber “parar”!

Também nos vai ser exigido cuidar das relações. Assim, se as relações forem sólidas, tornar-se-ão mais fortes.

Este ano vai exigir-nos cuidar da saúde, especialmente a saúde mental e aqui será crucial a visão do ser humano de forma holística e integrada. Também nos vai ser exigido cuidar das relações. Assim, se as relações forem sólidas, tornar-se-ão mais fortes. Caso contrário, haverá muitos rompimentos.

Será o ano de descobertas importantes, quer na medicina, tecnológica, ciência, e também podemos assistir a uma revolução maior para que haja renovação em setores como a educação, saúde, justiça, ou seja, os pilares de uma sociedade.

Em termos financeiros e económicos, para quem é especialista e brilhar na sua área pode ser um ano excelente. Para quem for vítima das circunstâncias ou do outro, pode ser um ano difícil. As carreiras vão exigir que acrescentemos um valor ao mundo, que consigamos nos distinguir, sermos únicos e fieis a nós próprios.

É o ano da descoberta de “verdades”, ou seja, aquela frase que todos conhecemos que “nem tudo o que parece é” será o mote, e pode ser transversal a todas as áreas e setores de atividades, desde ao nível pessoal, ao nível mundial.

É o ano do conhecimento, autoconhecimento, conhecimento do que nos rodeia, para sabermos escolher, termos mais maturidade mental, emocional e espiritual, mais foco no que queremos e mais profundidade na nossa forma de viver.

Em suma, 2023 é o ano para despertar a consciência, para despertar espiritual, para escutar o coração e para termos consciência do divino em nós e ao mesmo tempo da grandeza deste mistério que nos rodeia, do qual tudo faz parte, do qual fazemos parte e somos, universo. É o ano da seleção natural, assim como faz a natureza. Seleção do que é, do que não é, do que faz sentido e do que não faz sentido, do que deve continuar e do que deve ficar para trás.

É retorno à essência, à nossa essência, ao nosso ser, ao nosso interior, à nossa identidade.

É o ano para descobrirmos que em nós, reside todas as respostas que procuramos, toda a nossa história e toda a história da humanidade. Em nós reside a fonte da cura, da doença, de todos os males mas também de todos os milagres. Em nós, reside a força da criação, a força divina e a Fé! A Fé que nos fará levantar e acreditar que a nossa existência tem um propósito maior, de dever cumprido que nos conduzirá à paz interior que tanto buscamos.

Quanto mais caminharmos para dentro, mais conexão teremos à vida e a tudo o que existe e mais clareza teremos no nosso caminhar. A cor deste ano é o roxo ou violeta e o mantra é “em mim descubro todas as respostas que procuro e tenho Fé…(naquilo que mais quer)!”

© 2023 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também