“O vírus Corona é um drone que dispara em todas as direcções!”

Carlos Guimarães, é médico e fala do vírus Corona e dos seus efeitos numa entrevista, feita à distância, como deve ser.

Afinal, o que é o vírus Corona, em termos médicos e biológicos?

Todos os vírus comungam um princípio de igualdade, são parasitas, ou seja não vivem pelos seus próprios meios, precisam de células para sobreviver, reproduzindo-se. Basicamente são constituídos por um material nucleico (RNA ou DNA) revestidos por capa proteíca. Ao parasitarem as células, destroem-nas, causando o problema no hospedeiro, a doença. O vírus Corona pertence a uma família de vírus respiratórios descoberta nos anos 60.

Estamos perante um inimigo sem rosto, um caminhante ou peregrino, é alto ou baixo?

O inimigo já tem rosto, sabemos como caminha, bem como o seu grau de sacanice. Apesar de ser um vírus novo o seu reconhecimento foi muito rápido bem como a definição do seu mapeamento genético.

Pode dizer-se que é drone com alvos precisos: idosos, doentes crónicos, de doenças respiratórias?

Não. É um drone que dispara em todas as direções mas as suas balas são mais certeiras e mortíferas nos grupos de risco.

Não é de estranhar que, em tão pouco tempo, haja já medicamentos prontos a vender, para atacar o vírus?

Não acredito que hajam antivíricos efetivos nem a curto ou longo prazo e a vacina vai demorar.

O modo como fomos atacados reflecte o que somos em termos de civilização: descuidados, mal educados, ignorantes em questões básicas de saúde pública?

A nossa civilização é uma “badalhoqueira”. Basta reparar no lixo que produzimos e na forma enlatada como vivemos e viajamos. A ignorância, o cinismo e a falta de “tomates” até dói. Se não aprendemos com esta catástrofe, a nossa imbecilidade vai-nos condenar.

O comportamento que agora se exige ao cidadão, devia ser norma ou etiqueta social, mesmo em tempos em que o vírus não anda por cá?

Estas são medidas em tempo de guerra, mas muitas irão perdurar no tempo, não há volta a dar.

O que é mais grave: a pandemia do vírus ou a pandemia associada aos seus efeitos, com toda a gente a dar palpites, conselhos e informações, a produzir tratados sobre como dar porrada no Corona, sem conhecimento de causa?

A pandemia é muito mais grave. Lidar com os treinadores de bancada é uma brincadeira de criança comparada com o caos e o colapso mundial que a pandemia vai causar. Preocupante é ver que os ditos conhecedores da causa nada fizeram no devido tempo.

Porque é que os políticos não ouvem com mais regularidade, a comunidade científica, os biólogos e infeciologistas e não proponham medidas efectivas e cautelas de combate a fenómenos que a natureza cria por causa da porrada que leva do homem, sempre atreito a tratar mal o ambiente e a natureza?

Porque o primeiro motor do mundo é a economia, o segundo é a economia, as finanças, o poder, e lá para a cauda das causas surge o conhecimento científico. Tudo funciona à volta da sustentabilidade económica.

“Até prova em contrário temos de presumir que estamos todos infectados e por isso devemos proteger o próximo com o uso da máscara…”

Na abordagem à forma como o vírus nos afecta e se entranha, ora se diz que se propaga no ar, logo se diz que tem três horas de vida, ora é preciso máscara, ora já não é, não acha que há muita leviandade no propalar de conceitos e formas de ataque do vírus?

Como escrevi recentemente “parecemos moscas a voar numa tarde de trovoada”, já não há dúvidas quanto à propagação e à viabilidade do vírus nas superfícies materiais. Quanto à questão do uso de máscara, neste momento não tenho qualquer dúvida que toda a gente deve usar máscara ao sair de casa e nos fugazes contactos interpessoais. Até prova em contrário temos de presumir que estamos todos infectados e por isso devemos proteger o próximo com o uso da máscara. Esta atitude aliada a todas as outras pode fazer alguma diferença.

E acredita nos efeitos do clima sobre o Corona, a lembrar o tempo em que Hitler não tomou a Rússia, por causa da neve…

Toda a gente tem a expectativa de que o clima possa ajudar, mas como é um vírus novo há muita incerteza. É preciso avaliar bem a progressão da doença nos países quentes para daí tirar ilações.

E o que lhe sugerem as receitas de combate ao vírus de whisky com mel e vodka com sauna?

Sem comentários. Eu pergunto se a tão afamada medicina tradicional chinesa tratou a doença ou se foi a medicina convencional!

E até a rapidez com que se fabricaram antídotos para a doença? Acredita nos medicamentos que parecem estar prontos? Ou até na utilização do remédio da malária para matar o Covid-19?

Há muita especulação sobre o assunto e até já há açambarcamento de antimaláricos, mas nada de cientificamente provado. Para já o único medicamento é o nosso isolamento e o nosso sistema imunitário.

© Direitos Reservados

Sejamos concretos: esta pandemia é ou não uma guerra biológica e química?

Esta pandemia é a natureza a trabalhar e o homem a interferir na natureza.

Acredita que comer morcegos… dá esta indigestão mundial?

Provavelmente os morcegos e outros animais selvagens e domésticos não foram criados para serem comidos pelo homem.

É daí que vem o Corona, um vírus com origem natural?

Como disse, acredito que é um trabalho da natureza.

E se assim fosse, não é de estranhar que os alvos populacionais – China, Europa (via Itália) e Irão, possam indiciar também uma espécie de irmandade que incomoda outras potências?

Não acredito na tese da cabala. Não há potências a salvo do bicho mau.

Já agora, o espaço público onde os governos das cidades pulverizam ruas, bancos, telefones públicos, com sabe-se lá o quê, há ali vírus à solta ou depositado? Tem o efeito do casa roubada, trancas à porta?

É importante que as pessoas tenham a noção de que as gripes não são causadas por correntes de ar, mas por um vírus transmissível de pessoa a pessoa. A organização da sociedade e do urbanismo em nada ajuda no desenvolvimento, propagação e controlo das doenças.

“O Corona vírus veio mostrar que desenhamos mal o nosso mundo, mas também nos veio mostrar que nós somos um vírus letal para o clima e ele até parece a cura…”

Foi preciso o vírus Corona, dizer-nos tanta coisa que está mal no planeta…

O Corona vírus veio mostrar que desenhamos mal o nosso mundo, mas também nos veio mostrar que nós somos um vírus letal para o clima e ele até parece a cura.

Que todos somos pequeninos, medricas, iguais na forma como choramos perante uma ameaça invisível?

Os portugueses são muito medrosos perante a doença e talvez isso possa jogar a nosso favor.

Não era a hora de todos nos tornarmos mais humanos, cuidarmos do ambiente porque a Terra é a nossa casa, e não apenas dos que têm palacetes e mansões?

Essas atitudes ontem já eram tardias.

Será o Corona um vírus que mata o lado mau da natureza humana?

O Corona vírus não faz esse tipo de opções.

No dinheiro, o Corona também teve efeitos fatais… Obrigou a transferir carradas de euros para a economia e outros tais, e a saúde voltou a ver tanto euro a voar… Concorda?

Todas as questões económicas relacionadas com a pandemia serão um pesadelo tão grande como a própria doença.

“Não assuma que a sua comunidade não vai ser afetada. Prepare-se como se fosse. Não assuma que não vai ser infetado. Prepare-se como se fosse”. Concorda com esta ideia de Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS)?

Concordo em absoluto. Eu proclamo isso há muito tempo, o Corona vírus destina-se a todos, o Euromilhões a praticamente ninguém.

© 2020 Guimarães, agora!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2,728FansCurti
0SeguidoresSeguir
70SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Edição impressa / digital

Leia também

Novo livro: Ferreira de Castro e(m) Guimarães

No âmbito do Dia Mundial do Livro, Álvaro Nunes e...

Síncope: artista Carlos A. Correia estreia hoje no espaço Oub’lá

O espectáculo está dividido em três partes. Músic...

Moreirense: início fatal afasta o 6º lugar

Nos primeiros 11’ da partida, o Moreirense sofreu...

Vitória: o resultado é bem melhor que a exibição

Com um golo de Rochinha (16’), o Vitória importou...

Vitória: inverter o ciclo com o Santa Clara

O jogo com o Santa Clara é crucial no resto do ca...