39 C
Guimarães
Terça-feira, Julho 23, 2024
Sérgio Gonçalves
Sérgio Gonçalves
Licenciado em engenharia de sistemas informáticos pela UMinho e doutorado pela Universidade de Vigo na área de sistemas inteligentes e inteligência artificial. Foi adjunto do gabinete de apoio à vereação na CM de Guimarães entre 2013/2021 com responsabilidades nas áreas do desporto, desenvolvimento económico, modernização administrativa e sistemas de informação com relevância em temáticas como as cidades inteligentes e digitalização. Presidente da ADCL, entidade que tem uma elevada contribuição para o desenvolvimento social do vale de S.Torcato e de todo o concelho de Guimarães.

Vai ficar tudo bem?

Recuando alguns momentos na nossa memória, a março de 2020, recordamos a expressão que nos alimentava a esperança aquando da pandemia que nos afetou durante quase dois anos. Vai ficar tudo bem, era o suporte perante tal realidade que nos afetava e limitava.

Eis que estamos em 2023 e o mundo é um lugar estranho. No imediatismo que nos esmaga com as redes sociais, a avalanche de notícias que atropelam a nossa capacidade de refletir e de assimilar os acontecimentos.

A guerra, a economia, o ambiente são o dia a dia das preocupações e que enchem o espaço mediático. Nem sempre pela melhor perspetiva.

Teremos de ter a capacidade de filtrar a informação e conscientemente afirmar a nossa posição, sem dúvidas ou hesitações, mas sempre com a informação clara e verdadeira.

A intoxicação mediática é um perigo bem real e a falta de análise pode conduzir a realidades negativas.

Estas preocupações surgem pela falta de cuidado para o fortalecimento de valores culturais e educacionais. A educação é uma base imprescindível para a construção de uma sociedade “justa”, utilizando uma expressão comum.

A valorização do individual provoca uma erosão dos valores de partilha e solidariedade, sem os quais não temos possibilidade de uma sã convivência e sobrevivência, não tenhamos qualquer dúvida. Para tal a história da humanidade traz consigo esse conhecimento. Não se devem cometer os erros do passado.

Acresce a guerra, ou as guerras, que teimam em nascer a cada esquina.

Crescem as dificuldades sociais que provocadas pela quebra de rendimentos, não permitem uma subsistência digna, mesmo entre aqueles que conseguem garantir um emprego. É uma contradição imperdoável nos dias que correm. Acresce a guerra, ou as guerras, que teimam em nascer a cada esquina.

Passaram já quase 30 dias de ressurgimento do conflito em Israel e, parece que nos esquecemos do conflito que às portas da Europa ainda perdura, entre a Ucrânia e a Rússia. São de facto eventos perturbadores, quando consideramos que o ser humano evoluiu, ou talvez não.

Teremos nós em cada uma das ações diárias a capacidade de sermos forças de mudança. Acreditamos e certamente agiremos para tal.

Perante esta complexidade da realidade mundial, devemos ser interventores ativos na sociedade e não deixar crescer os movimentos que contaminam negativamente a sociedade.

Promover a cooperação entre as instituições é incrivelmente vantajoso para todos. Assim o queiramos.

Somente juntos, conseguimos chegar ao destino a que nos propomos. A solidão pode ser aparentemente mais aliciante, porém rapidamente será um problema.

Em São Torcato, ao longo da sua história as instituições demonstram a sua resiliência e espírito inovador. Foi assim construída uma comunidade que não deve deixar esta força que a torna “única” e que preserva as tradições. Será importante a promoção dessa identidade e não nos deixarmos encantar por “inovações estéreis” que ao invés de valorizar, se tornam impedimento do reforço da identidade torcatense. Focar no essencial e deixar o acessório de parte é o desafio a cada um de nós e em especial a quem tem a capacidade de decisão.

© 2023 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também