1.6 C
Guimarães
Sexta-feira, Fevereiro 3, 2023
Miguel Leite
Miguel Leite
Natural de Guimarães, Fisioterapeuta Licenciado, com mais de 10 anos de experiência profissional, tendo já tido várias experiências profissionais (meio hospitalar, clínica, ensino especial em escolas e meio desportivo/desporto de alta competição). É também Pós Graduado em Fisiologia do Exercício e Fisioterapia Cardiorrespiratória. Têm outras formações complementares relacionadas com a sua profissão. Faz parte dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, pertencendo desta forma ao atual corpo ativo da corporação vimaranense.

Na hora de escolher, o que fazer?

Ao longo das últimas décadas a evolução exponencial planetária da indústria e da ciência permitiu ao Homem estar hoje em dia sobre um limiar que considero perigoso que é o sentir-se o “falso controlador” das suas posições sobre uma esfera que se encontra atenta e ativa.

O ditado é antigo e muito conhecido, “a vida é feita de escolhas”, e esta realidade aplica-se a qualquer situação experienciada por todos nós, independentemente das suas consequências.

Quando transportamos este facto para o “espaço saúde”, o mesmo sucede diariamente, seja através da ação individual de cada profissional de saúde ao exercer as suas funções, seja na escolha do paciente ao selecionar o local onde vai procurar os serviços clínicos para algum tipo de intervenção que necessite, seja na forma como os espaços físicos são concebidos para tratar os seus utentes, ou em tantas outras situações que envolve todo um conceito que é a base da nossa sobrevivência.

No momento de escolher uma opinião de um determinado profissional de saúde sobre alguma dúvida clínica que naquele instante nos inquieta é necessário ponderar alguns parâmetros que são importantes para que o desfecho seja o pretendido. Claramente, numa situação de exceção, definida como uma emergência médica (risco de vida iminente de uma determinada pessoa) o percurso é apenas um, que será o encaminhamento para o Hospital local.

Devemos focar-nos inicialmente naquilo que são as nossas queixas (sintomas); de seguida tentar perceber as possíveis causas (possíveis mecanismos desencadeadores); enquadrar no tempo (duração dos sintomas); evento isolado ou múltiplo (histórico do evento) e após este resumo mental individual tentar enquadrar numa determinada modalidade específica da saúde. Este é um exercício que considero ser pertinente a cada um de nós antes de recorrer a um serviço de saúde, para objetivar se possível a informação que vai ser passada ao respetivo clínico.

O excesso de informação disponibilizada nos dias de hoje, nos mais diversos meios digitais, é muitas vezes uma das principais causas de fraco sucesso na objetividade da procura de um serviço de saúde, devido ao “caos ideológico” que origina no momento de decisão do indivíduo.

A orientação objetiva e direta de um determinado paciente com a necessidade de uma certa especialidade clínica é fundamental no desfecho final da vida desta pessoa, e esse facto, têm que estar sempre presente seja através da informação que é disponibilizada nas redes internáuticas ou outro meio de transmissão informativo, seja através da avaliação primária de um qualquer profissional de saúde que têm obrigação ética de proceder no auxílio de um certo utente no encaminhamento mais especializado deste, se assim for necessário.

A dita evolução originou uma comercialização de praticamente tudo, e esta realidade é no mínimo assustadora…

Inevitavelmente a dita evolução originou uma comercialização de praticamente tudo, e esta realidade é no mínimo assustadora, sendo que a existência de saúde é o que realmente nos separa da dialética humana (vida e morte), a mesma deve ser o elo máximo de coexistência entre pares independentemente do seu contexto socioeconómico.

Que a procura de quem precisa, tenha sempre a resposta que tanto anseia, por parte daqueles que outrora juraram servir o interesse público.

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER
PUBLICIDADE • CONTINUE A LER

Leia também