Economia: foram criadas mais 54 empresas em Outubro

O universo empresarial vimaranense foi enriquecido com mais 54 novas sociedades comerciais, durante o mês de Outubro. E apenas nove foram dissolvidas ou encerraram a sua actividade.


São 23 em forma de sociedade por quotas simples e outras (31) unipessoais limitada. Os homens são preponderantes no que se refere à titularidade das quotas. Mas cresce o número de mulheres que cria a sua própria empresa, sobretudo, na indústria de confecção de vestuário e até na saúde. São cerca de 20 as mulheres que se envolvem nestas sociedades criadas no mês passado, enquanto titulares do capital social ou gerentes, o que pode fazer emergir um empreendedorismo feminino que podia refrescar o mundo empresarial local.

O objecto comercial destas sociedades nota-se em actividades tradicionais como o comércio de imóveis, a prestação de serviços em áreas da saúde e bem-estar. Há também, no sector de serviços, um ressurgimento de actividades ligadas às reparações de automóveis, limpeza e manutenção de edifícios, fornecimento de serviços publicitários ou de marketing e mesmo de fotografia e edição de imagem.

© Infografia: Guimarães, agora!

Na área da indústria e porque as empresas criadas se podem enquadrar no estatuto de micro-empresas (com até 10 trabalhadores e um volume de negócios inferior a 2 milhões de euros) há, no entanto, sociedades com objecto social diferente, desde a produção e comercialização de produtos farmacêuticos à produção animal, e também as novas profissões ligadas à prestação de serviços de saúde mais personalizados e especializados, que vão para além de serviços ligados ao bem-estar, à terapia da fala e psicologia e à manutenção da saúde.

Neste lote continuam a criar-se empresas ligadas ao sector têxtil, desde a produção de bordados à prestação de serviços diversos ou ligados ao comércio internacional.

Regista-se, também, neste novo universo empresarial, a presença de cidadãos europeus, de Espanha e de França, ligados à produção animal, de bovinos, caprinos e outros, ao transporte rodoviário de mercadorias, e produção e comercialização por retalho e grosso de produtos farmacêuticos de base provenientes de espécies vegetais medicinais, fabrico, produção e comercialização por grosso de preparações farmacêuticas e substâncias activas farmacêuticas que, pelas suas propriedades farmacológicas, são utilizadas no fabrico de medicamentos.

NOVAS SOCIEDADES (por freguesias):

  • (9) Oliveira, São Paio e São Sebastião
  • (6) Creixomil
  • (5) Costa
  • (4) Caldelas
  • (3) Barco; Brito; Selho São Jorge; Selho São Lourenço e Gominhães
  • (2) Ponte
  • (1) Abação e Gémeos; Airão Santa Maria, Airão São João e Vermil; Azurém; Candoso São Tiago e Mascotelos; Infantas; Lordelo; Mesão Frio; Moreira de Cónegos; Polvoreira; Prazins Santa Eufémia; Sande São Lourenço e Balazar; São Torcato; Serzedelo; Silvares; Tabuadelo e São Faustino; Urgezes

No que toca a reduções do capital social, há apenas uma, das Indústrias Têxteis Somelos, SA. O capital social da empresa foi reduzido em 17.415.060 euros para cobrir prejuízos, sendo agora o capital social de 4.353.765 euros.

Já no capítulo das dissoluções e liquidações, as empresas Terraplanagens Gonçalves, Ldª, SMP & EFB Ldª, Olhar Determinado Unip. Ldª, Paula & Joana Oliveira Ldª, e Sottopiano – Restauração e Bebidas Ldª, foram dissolvidas e encerraram a sua actividade.

No que toca a aumento de capitais, houve movimentos em cinco empresas: na CPCPC – Companhia Portuguesa de Comércio de Produtos Combustíveis, SA a sua accionista Exclusinvest – Gestão de Participações Sociais, SGPS SA aumentou em mais 200 mil euros a sua participação no capital da empresa que após o aumento foi elevado para 1.000.000,00 euros.

Outro aumento, por incorporação de novos sócios, foi o que registou a empresa Zenithodyssey que tem agora algumas empresas como sócias, algumas delas ligadas às transformações accionistas na sociedade que detém a TVI, tal como a CIN – Corporação Industrial do Norte SA, a Polopique – Sociedade Gestora de Participações Sociais SA, a Volume Volátil Ldª, a Zafgest Imobiliária Unipessoal Ldª, e Alfredo & Carlos – Imobiliário SA.

Os restantes aumentos registaram-se na Caixindu – Indústria de Caixas e Embalagens Ldª, Mitriki Ldª, Bydyzel – Energias Unipessoal Ldª e Take A Walk- Indústria de Calçado SA e Combimport Unipessoal Ldª.

© 2020 Guimarães, agora!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2,064FansCurti
0SeguidoresSeguir
66SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Edição impressa

- publicidade -

Leia também

Dezembro “recolhe-te”!

Estamos no último mês do ano! 2020 teve um misto ...

Comércio: faça compras no comércio local pela via digital

A aplicação que vai permitir dinamizar uma relaçã...

Muralhas no tempo

Caminhamos para o final do presente ano, e que an...