PRR: 140 projectos nas agendas mobilizadoras

O investimento é de 14 mil milhões, os projectos são 140 e o Ministro da Economia mostra a sua satisfação por ter superado as expectativas.


O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, congratulou-se com a elevada apresentação de manifestações de interesse para o programa das Agendas Mobilizadoras do Plano de Recuperação e Resiliência, que se traduziu na apresentação de 140 candidaturas de consórcios com propostas de investimento de 14 mil milhões de euros. «É um número que superou as nossas expectativas», disse.

O prazo para os consórcios envolvendo empresas, universidades e instituições científicas e tecnológicas apresentarem uma manifestação de interesse para o desenvolvimento de projetos no âmbito das Agendas Mobilizadoras para a Inovação Empresarial terminou a 30 de setembro. As Agendas Mobilizadoras destinam-se a projetos que transformam o tecido industrial.

Estes consórcios abrangem empresas de praticamente todas as regiões do País e de vários setores de atividade, «desde o setor das energias ao setor das biotecnologias, ao da saúde, do aeroespacial, e do automóvel», disse.

«Em todas as áreas onde Portugal nos últimos anos tem procurado fazer investimento no conhecimento, na inovação, nas novas tecnologias, vemos esta mobilização e, portanto, estou convencido que temos aqui uma muito boa base de partida para darmos um impulso através dos recursos europeus para desencadear o movimento de investimento que o País tanto precisa», acrescentou.

O Ministro saudou a grande disponibilidade das empresas e instituições académicas «para colaborarem, para criarem produtos inovadores orientados para os mercados externos», afirmando que não se pode perder este impulso se se quer ver, nos próximos anos, «frutificar exemplos de aposta de produtos inovadores, de maior valor acrescentado para colocar Portugal no caminho de crescimento económico sustentado».

“Já sinalizámos mais 2,3 mil milhões de euros que poderemos ir buscar à União Europeia para apoiar estes investimentos.”

Inicialmente estão previstos cerca de mil milhões de euros de incentivos para apoiar estes investimentos, mas Siza Vieira disse que «já sinalizámos mais 2,3 mil milhões de euros que poderemos ir buscar à União Europeia para apoiar estes investimentos e temos o Portugal 2030 que começará a ser lançado» dentro de dois anos, explicou.

O Ministro referiu ainda que, nas próximas semanas, serão avaliadas estas manifestações de interesse e estes consórcios para verificar se cumprem as condições de elegibilidade para participarem no programa. Posteriormente, serão dirigidos convites aos consórcios pré-selecionados para apresentarem os seus projetos e as suas candidaturas ao apoio.

A seleção final dos consórcios será feita com recurso a um júri com personalidades internacionais e os contratos de investimento deverão ser assinados durante o primeiro trimestre do próximo ano.

Pedro Siza Vieira fez esta declaração durante uma visita à unidade de termotecnologia da Bosch, em Aveiro, na qual inaugurou o novo parque fotovoltaico com cerca de 17 mil metros quadrados e com uma produção anual estimada em 1 680 quilowatts, o equivalente a uma redução de 700 toneladas de emissões de dióxido de carbono.

Este parque fotovoltaico permitirá à empresa diminuir os custos de eletricidade em cerca de 20%, o que será um componente importante nos ganhos de competitividade.

In: portugal.gov 📸 Diogo Moreira

© 2021 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também