Heimtextil: Ana Pinheiro uma empresária com novos horizontes

É uma das mais jovens gestoras no sector do têxtil-lar que abraçou a indústria com uma grande dose de paixão resultante de uma forte herança familiar.


Mostra-se “agradavelmente surpreendida com os resultados dos dois primeiros dias de feira”. Para além dos clientes que anunciaram e programaram a sua visita, o stand da Mundotêxtil teve “o bulício semelhante de uma feira de Janeiro”.

Este impacto positivo pode resultar do facto de a Heimtextil ter sentido os efeitos da pós-pandemia, tal como outros sectores, com visitantes entusiasmados por um novo regresso a Frankfurt. Apesar de Janeiro de 2023 estar tão próximo.

Acentua mesmo que houve no passado “alguns Janeiros que tiveram menos gente”. Evidenciado uma postura diferente sobre a realização da Heimtextil, em Junho, a empresária afirma convictamente que “não acho mal”, apesar de saber que a data não é consensual.

Defende que Maio poderia ser uma alternativa a Janeiro. E aceita que depois de cinco décadas a Heimtextil possa assumir algumas adaptações e evoluir no seu calendário. E senão duas edições como a Maison & Object e outras feiras, uma edição noutro mês que não o primeiro do ano.

Explica que para a Mundotêxtil, organizar a presença na Heimtextil, em Janeiro, era um transtorno, por causa das férias da empresa na época de Natal e da pressa com que se optimizar a colecção.

“Hoje – justifica – estamos aqui a apresentar uma colecção para Primavera/Verão do ano que vem e, em Janeiro, mostraremos a colecção para o Outono/Inverno de 2023”.

📸 PUB

Diz ainda que a realização da Heimtextil com as feiras – Techtextil e Texprocess – faz sentido, uma vez que uma mostra o têxtil em várias vertentes.

Sobre a introdução da teoria da economia circular no fabrico dos produtos do Mundotêxtil, Ana Pinheiro diz que a aposta em fibras emergentes, recicladas e com os próprios resíduos é um processo que está a ser validado pelo Fibrenamics, da Universidade do Minho.

“Nesta vertiginosa evolução da indústria têxtil estava longe de imaginar, estar aqui, hoje, a apresentar uma colecção aloé vera” – concluiu.

From Portugal 📸 Cordex, Carlos Sousa Indústria, Filasa, A. Sampaio & Filhos e Trivialtex.

📸 GA!

© 2022 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também