Tiago Mendes: “Estou mesmo super feliz por começar a minha carreira de treinador no VSC”

Só treinadores portugueses orientaram a equipa principal do VSC nas últimas 21 temporadas. Tiago Mendes segue essa pegada nacional, sendo o 18º da lista dos que serviram o clube.

O que é “nacional é bom” no que a treinadores diz respeito. O Vitória tem sido orientado assim, desde a época de 2000/01 quando Álvaro Magalhães sucedeu a Paulo Autuori, o último estrangeiro, de nacionalidade brasileira, a sentar-se no banco de suplentes para dirigir a equipa vitoriana.

De Pimenta Machado, a Vítor Magalhães, de Emílio Macedo a Júlio Mendes todos contrataram treinadores portugueses, num rol de 18, a que se juntam Basílio Marques (recentemente falecido), em 2005/06 e 2011/12 e Vítor Campelos, em 2017/18 que vestiram a pele de treinadores do clube em apenas um jogo.

Miguel Pinto Lisboa, partilha do entendimento dos seus antecessores e segue a saga de encontrar no treinador português o perfil adequado para comandar a equipa.

Tiago Mendes foi o eleito. O ex-jogador com uma invejável carreira de futebolista em Portugal e maioritariamente no estrangeiro (Inglaterra, França, Itália e Espanha) acaba por ter no Vitória a sua estreia como treinador principal, facto que considera como “um motivo de orgulho” e causador de “uma alegria muito grande”.

O enlace que culminou no casamento do treinador com o clube, foi até curto e rápido. E tudo porque Tiago Mendes não temeu aceitar este desafio. “Durante toda a minha carreira, no futebol, enfrentei todos os desafios”, e não escondeu que ser treinador do Vitória “é um grande desafio para mim, com um grau de exigência máxima, a que me habituei a viver”.

“Deixarei tudo por este clube e sinto-me mesmo muito feliz por começar a época com todos vós dentro do campo, é aí que me sinto bem…”

Em escassos minutos, durante a sua apresentação, no estádio, Tiago Mendes não deixaria os adeptos sem uma referência. “Deixarei tudo por este clube – disse – e sinto-me mesmo muito feliz por começar a época com todos vós dentro do campo, é aí que me sinto bem”.

Antes de responder a perguntas dos jornalistas, o treinador deixou “a convicta certeza de que tudo irá correr bem nesta temporada”.
O novo treinador do Vitória, também ele um minhoto – nasceu em Viana do Castelo – afirmou depois que “a grandeza deste clube” justificou a sua resposta positiva ao convite que lhe foi feito por Miguel Pinto Lisboa e Carlos Freitas.

“Achei que este era o projecto certo para começar a minha carreira de treinador principal e o Vitória pela sua grandeza e pela exigência dos seus adeptos, tinham as características que mais me motivam, e foi logo um sim” – rematou.

“Se a Europa é um objectivo mínimo?” – o treinador respondeu que o que pode prometer “é de, em cada dia, ter a sua dedicação no máximo” pois, sabe, que é no trabalho diário que se começam a ganhar os jogos. E nesta dedicação “extrema” envolveu os jogadores, para que a 20 de Setembro, na abertura do campeonato, o Vitória se apresente em força. Reconheceu que “vivemos tempos em que não sabemos o que vai acontecer amanhã” e por isso, não quis “olhar já para Maio” do próximo ano.

Sobre como se “define” enquanto treinador, Tiago Mendes declarou-se como “um treinador exigente, que gosta que a sua equipa tenha a bola e controle todos os momentos do jogo”. Não se alongando em discursos, disse apenas “esperem para ver, de certeza que os adeptos se identificarão com a equipa”.

É esta equipa técnica que pretende surpreender os vitorianos. © Marco Jacobeu

Tiago Mendes deixou claro que “o meu sonho de criança era mesmo ser apenas jogador” porquanto a sua carreira de treinador é apenas uma evolução no mundo do futebol que foi assumida mais recentemente. “Gosto de estar no campo, gosto de partilhar o que tenho dentro de mim, acredito que chegarei longe”, disse com humildade e com convicção.

Com uma sinceridade indisfarçável, o jovem treinador considerou que ter começado a sua carreira de técnico no VSC, é uma “coisa impressionante, estou mesmo super feliz”, porquanto “daqui para a frente o caminho será feito com tranquilidade, humildade e muito trabalho”.

Mostrou-se ainda “feliz com os jogadores do plantel” que já tem ao serviço e até ao fecho das inscrições, está tudo em aberto para possíveis novas contratações.

Num discurso estudado, sinal de que entende a linguagem usada pelos vitorianos, Tiago Mendes, quer “um Vitória à Vitória”, um sinal de que “sabemos o que nos exige este público, que quer emoção e intensidade e isso vamos ter”. Admitiu poder pôr o Vitória a jogar em função do que aprendeu com alguns treinadores, como Diego Simeone com quem esteve no Atlético de Madrid.

Por fim, reconheceu que os últimos dias foram complicados e muito exigentes porque tem de conjugar as tarefas de construir um novo plantel e acabar o curso de treinador na UEFA. Mas, “é nestes momentos de dúvida e de pressão que faço o melhor de mim” – confessou.
Passada esta fase, Tiago disse que agora já “só tem a cabeça livre para pensar no Vitória”.

© 2020 Guimarães, agora!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1,979FansCurti
0SeguidoresSeguir
50SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Edição impressa

- publicidade -

Leia também