Vitória: um triunfo que foi um passo para chegar ao 5º lugar

O Paços de Ferreira jogou, criou emoção, deixou uma boa imagem mas o Vitória foi mais pragmático na abordagem ao jogo. E marcou quando era mais preciso e entendeu o jogo como uma final.


O triunfo é incontestável, premeia uma boa exibição, tal como Pepa previa, na antevisão do Vitória-Paços. Um jogo grande que o treinador desejava que a sua equipa ganhasse como se de uma final se tratasse. E o jogo teve até três penaltis para dar mais força ao resultado.

Foi isso que aconteceu. O 4-0 marca diferença entre uma equipa que não desperdiçou as oportunidades que foi criando e outra que fazendo uma boa exibição não bateu por uma única vez Bruno Varela.

A emoção estendeu-se pelo relvado, porque não faltaram bons remates e boas intervenções dos guarda-redes. O jogo foi sempre corrido, num taco-a-taco que alegrou a quadra pascal dos vitorianos e dos desportistas.

O Vitória chegou ao 3-0 num lance em que André Almeida ergueu a bola e Luiz Carlos tocou na bola com a mão, originando um penalti, o segundo. André Almeida marcou, o guarda-redes defendeu e Bruno Duarte com oportunidade foi o primeiro a correr para bola e a chutar com êxito.

O Paços passou a jogar com 10 depois da expulsão de Luiz Carlos que viu o 2º amarelo e o Vitória não tirou o pé do acelerador invertendo o pendor ofensivo, chegando mais vezes à baliza contrária até com remates de fora da área de Janvier, Rúben Lameiras e Herculano.

E assim construiu uma goleada. O 4-0 surgiu aos 86’, quando a bola voltou a ser jogada com a mão na área de rigor e Rúben Lameiras apontou a grande penalidade com um remate forte e colocado.

Curiosamente, o jogo foi de contrastes, na primeira parte: o Paços jogada mais, investia em lances dentro da área mas o Vitória marcava; no que toca a posse de bola o Paços teve 67% contra 33% do Vitória o que demonstra o que se passou em campo. E na segunda parte, surgiram os outros penaltis que justificaram a goleada do Vitória a um adversário directo no 6º lugar. E onde o Vitória se afirmou.

📸 LPFP

O Paços entrou atrevido, a jogar excessivamente na área do Vitória, causando problemas pelo lado direito mas não conseguindo chegar ao golo, animando o espectáculo e o brilho da exibição vitoriana.

O Vitória marcou cedo, aos 6’, na sequência de um penalti que castigou uma falta de Maracás sobre Bruno Duarte que driblou o seu adversário mas foi rasteirado na área.

E foi uma contra-resposta ao pânico lançado aos 3’ num cruzamento em que a bola andou à frente da baliza de Bruno Varela. Mumin quase fez penalti aos 12’ numa jogada complicada ainda e sempre lado direito.

Num jogo competitivo, em que a equipa pacense teve mais posse de bola, faltou-lhe felicidade e eficácia, sobretudo aos 8’, numa jogada bem esquematizada em que Uilton não deu o melhor seguimento a mais um cruzamento da direita rematando por cima quando Bruno Varela tentou cobrir o ângulo do remate.

Notava-se um Vitória mais realizador que surgiu com uma veia mais atacante já na parte final da 1ª parte, contra um Paços de Ferreira, com a filosofia de César Peixoto, e mais obreiro, construindo inúmeras jogadas na intermediária vitoriana, o que resultou numa metade do jogo bem jogada emotiva com as equipas a procurarem o melhor resultado.

E aos 45’ marcou o segundo golo quando Bruno Duarte subiu ao céu para finalizar de cabeça um cruzamento da esquerda, por onde o Vitória mais carrilou o seu jogo.

O Vitória apareceu retocado com Bruno Duarte a cobrir a ausência, por castigo de Oscar Estupiñan e com Borevkovic no eixo da defesa no lugar de Jorge Fernandes. Alfa Semedo e Tiago Silva regressaram dos castigos que os afastaram da equipa.

Os adeptos não gostaram e assobiaram os White Angels quando aos 23’ atiraram tochas para a baliza próxima e onde defendia o Paços Ferreira, contrastando com os aplausos iniciais quando a claque fez descer um enorme cartaz assinalando o seu adversário.

O Vitória alinhou com: Bruno Varela, Miguel Maga, Borevkovic, Abdul Mumin, Rafa Soares (Sílvio 78’), Tiago Silva, Alfa Semedo, André Almeida (Nicolas Janvier 78’), Rúben Lameiras (Geny Catamo 86’), Rochinha (Nélson da Luz 72’), Bruno Duarte (Herculano 72’).

Golos: Tiago Silva (6’), Bruno Duarte (45’ e 67’), Rúben Lameiras (86’).

📸 Vitória SC

© 2022 Guimarães, agora!


Partilhe a sua opinião nos comentários em baixo!

Siga-nos no Facebook, Twitter e Instagram!
Quer falar connosco? Envie um email para geral@guimaraesagora.pt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Leia também